14/02/2020 às 11h27min - Atualizada em 14/02/2020 às 11h27min

Frente de 14 partidos forma Conselho contra atentados de Bolsonaro à democracia

O Conselho é coordenado pelo sociólogo Fernando Guimarães. O movimento deverá elaborar manifestos e atos com o objetivo de ampliar a frente em defesa da democracia.

O movimento “Direitos Já - Fórum da Democracia” formou um Conselho Político reunindo 14 partidos e decidiu promover atos e manifestações contra os atentados do governo Bolsonaro à democracia e aos direitos do povo brasileiro. O encontro aconteceu na segunda-feira (10), em São Paulo - SP.

A primeira manifestação será em defesa da Educação, contra os desatinos do ministro Abraham Weintraub à frente da pasta, que acontecerá em São Luís - MA, no dia 30 de março.

O Conselho é coordenado pelo sociólogo Fernando Guimarães. O movimento deverá elaborar manifestos e atos com o objetivo de ampliar a frente em defesa da democracia.

Veja os partidos e seus representantes:

  • PSDB - senador suplente José Aníbal e o ex-ministro Clóvis Carvalho;
  • NOVO - deputado federal Vinícius Poit e a suplente de deputada estadual Mônica Rosenberg;
  • PSD - Ricardo Patah, membro da executiva nacional;
  • REDE - o porta-voz nacional Pedro Ivo e Duda Alcântara, porta-voz na cidade de São Paulo;
  • PTB - senador Armando Monteiro;
  • Solidariedade - ex-deputado estadual Ramalho da Construção;
  • Podemos - Ricardo Calciolari, presidente da Fundação do partido;
  • Cidadania - presidente municipal de São Paulo, Carlos Fernandes, e a vereadora de São Paulo Soninha Francine;
  • PV - José Luiz Penna, presidente nacional, e o ex-presidenciável Eduardo Jorge;
  • PDT - presidente municipal de São Paulo, Antônio Neto, e o membro da executiva municipal Ricardo Pisani;
  • PSB - vereador de São Paulo, Eliseu Gabriel;
  • PCdoB - vice-presidente nacional, Walter Sorrentino, e o secretário estadual de Relações Institucionais, Rodrigo Carvalho;
  • MDB - deputado federal Raul Henry;
  • PT - vereador Eduardo Suplicy e o ex-vereador Nabil Bonduk, ambos de São Paulo.

O ex-governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, que não está ligado a nenhum partido, também esteve na reunião.

Segundo Fernando Guimarães, a manifestação em São Luís será “em defesa da educação. É inaceitável que a condução da área fique nas mãos de um ministro da ideologia”.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp