08/08/2020 às 13h05min - Atualizada em 08/08/2020 às 13h05min

Evo Morales alerta para “novo golpe de Estado” na Bolívia antes de eleições

Segundo Morales, o plano é organizado por dois generais: Sergio Carlos Orellana, comandante em chefe das Forças Armadas de Bolívia, e Iván Ortiz Bravo, chefe do Departamento Terceiro do Comando em Chefe.

O ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, denunciou nesta sexta-feira (8) que em seu país “se prepara um novo golpe de Estado” que busca “instaurar um governo de civis e militares”.

Segundo Morales, o plano é organizado por dois generais: Sergio Carlos Orellana, comandante em chefe das Forças Armadas de Bolívia, e Iván Ortiz Bravo, chefe do Departamento Terceiro do Comando em Chefe.

Assim, salientou que para executar o plano “chegaram dois aviões com armas dos EUA e foram enviados franco-atiradores a El Alto e Chapare”.

“É condenável que o governo de fato envie franco-atiradores à cidade de El Alto e Trópico de Cochabamba para que atuem contra grupos de cidadãos que defendem eleições e democracia. Pretendem usar armas de calibre 22 e 25 para acusar de enfrentamentos os movimentos sociais”, postou Morales nas redes sociais

El Alto, cidade vizinha da capital boliviana La Paz, e Chapare, província do departamento de Cochabamba, são os principais focos dos protestos contra o novo adiamento das eleições gerais, que estavam previstas para ocorrer em 6 de setembro e foram adiadas para 18 de outubro.

Morales foi presidente da Bolívia até 10 de novembro de 2019, se retirando do país após fortes protestos motivados pelas últimas eleições presidenciais bolivianas. Desde então, o ex-mandatário alerta para a erosão do ambiente democrático do país.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp