15/12/2021 às 14h13min - Atualizada em 15/12/2021 às 14h13min

Câmara de Várzea Paulista – SP apresenta solução para rodízio de água e cobra SABESP

Após anúncio de rodízio, vereadores reagem com apelo ao Secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo para soluções efetivas diante da crise hídrica.

Redação
Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Várzea Paulista - SP
A Câmara Municipal de Várzea Paulista – SP, aprovou na manhã da terça-feira (14), Moção de Apelo direcionada ao Secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Marcos Penido. O documento tem como objetivo solicitar a implantação de um sistema de adução de água bruta, por meio da Adutora Paiva Castro.
 
A Moção de Apelo de autoria do vereador Chico Spinucci e colegiado formado pelos vereadores, Mauro Aparecido(PRB), presidente da Casa, Adrianin do Varejão (PSB ), Elton Vargas (Podemos ), Giba Moraes (MDB ), Chico Spinucci (PSDB ), Robertinho ( PSB ), Eliseu Notario Alves(PV), Marcio Nunes ( PSB ), Emerson Afonso(PSDB), Alex Godoi( PSB), Hulck (PRB) e Valdecir Popular (PV), foi formulada como providência e resposta urgente ao anúncio da SABESP, da necessidade de adotar o rodízio de água na cidade.
 
Além dessa medida de contenção, a resposta da Câmara é uma manifestação de preocupação mediante à previsão de estiagens que ocasionam grandes transtornos à população. A cidade de Várzea Paulista possui cerca de 120 mil habitantes que ocupam um território com recursos hídricos limitados.
A ausência de uma represa própria, faz com que os moradores dependam apenas de uma fonte de abastecimento, proveniente do rio Jundiaí, e dependendo de um eventual baixa do nível hídrico, os moradores teriam problemas de falta de água.
           
Com a ausência de informações sobre iniciativas preventivas da SABESP para evitar os transtornos do atual rodízio, além da crise hídrica prevista nos próximos anos, os parlamentares aprovaram essa Moção de Apelo e defenderam durante a sessão a adoção de medidas que tenham efeito a curto e longo prazo. “Não podemos ficar a mercê de rodízio e a espera de chuva, precisamos pensar ações a médio e longo prazo para que amanhã possamos discutir  problemas futuros e não do passado. precisamos pressionar na esfera estadual , federal para obtenção de recursos”, declarou o vereador Chico Spinucci.


O presidente da Câmara, Mauro Aparecido reiterou a importância dessa manifestação e cobrou uma resposta da Companhia de Abastecimento e saneamento Básico de São Paulo. “Com a independência e a chegada da SABESP houveram melhorias, porém ao longo do tempo a Companhia não adotou medidas preventivas. Atualmente precisamos adotar medidas não apenas de urgência, mas que gerem melhorias a longo prazo, a questão ambiental , o reflorestamento que já foi maior no município é um ponto importante para preservação de recursos”, ressaltou Aparecido.
 
Indignação unânime
O vereador Notario Alves também se manifestou durante a sessão e afirmou que a empresa atua há 24 anos e até o momento não há represa. “Não podemos mais esperar, a população não pode ficar sem água”, disse Alves.
Giba Moraes lembrou que, desde 2017 ao lado de seus pares, vem levantando de forma pontual a preocupação com meio ambiente e abastecimento de água e tratamento de esgoto. “É chegada a hora de serem adotadas providências de fato, já estamos vivendo um colapso hídrico e adoção de medidas paliativas apenas não são suficientes”, declarou Moraes.
 
O vereador Adrianin do Varejão demonstrou indignação ao falar sobre a presença de barro na água e declarou também seu apoio aos vereadores e à população na questão da crise hídrica, agravada pelo rodízio.
 
O vereador Emerson Afonso criticou a ausência de ações efetivas, por parte da SABESP, para evitar o atual quadro. “Ao levantarmos a questão do rodízio há tempos atrás, fomos informados que não aconteceria, hoje estamos diante do rodízio”.
 
O presidente da Câmara concluiu as manifestações destacando a colaboração do município de Jundiaí – SP com o fornecimento de 600 litros de água por minuto – segundo informações repassadas pelo prefeito Rodolfo Wilson Braga (PSDB) –, para minimizar os efeitos do rodízio.
 
Lembrou ainda, a antiga preocupação da cidade vizinha sobre abastecimento para Várzea Paulista e a implantação de uma represa há anos, período em que Várzea Paulista ainda era um bairro de Jundiaí. Além de Várzea Paulista, a cidade de Campo Limpo Paulista – SP também foi informada sobre a adoção de rodízio de água.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp