16/11/2021 às 01h09min - Atualizada em 16/11/2021 às 01h09min

Paulo Guedes omitiu que filha é diretora de offshore nas Ilhas Virgens e esposa é sócia

Denúncia é feita pelo deputado federal Elias Vaz (PSB), que analisou os documentos enviados por Guedes à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara.

Redação
O ministro da Economia Paulo Guedes omitiu do governo federal que sua filha, Paula Drumond Guedes, segue como diretora da offshore mantida por ele nas Ilhas Virgens Britânicas. A denúncia foi feita pelo deputado federal Elias Vaz (PSB) nesta segunda-feira (15). Em nota, o parlamentar afirma que irá abrir uma representação no Ministério Público Federal (MPF) contra o ministro de Jair Bolsonaro (Sem Partido).
 
De acordo com o parlamentar, “Guedes deixou a direção da empresa no paraíso fiscal em 2019, ao assumir o cargo de ministro, mas sua filha seguiu à frente da empresa como diretora, cargo que ocuparia desde 2015. A informação, no entanto, teria sido omitida por Guedes na Declaração Confidencial de Informações (DCI) exigida pelo governo, a qual o deputado teve acesso. Além disso, a esposa do ministro também é sócia da offshore”, destaca um trecho da denúncia encaminhada.
 
“Entendo que a empresa está sob suspeita. É no mínimo muito estranho Guedes ter omitido essas informações. Por isso, é importante que o Ministério Público Federal analise o extrato de desempenho dessa offshore para saber se não foi beneficiada por informações privilegiadas que Guedes obteve por ser ministro”, escreve Vaz em outro trecho.
 
O deputado diz ainda que irá cobrar o cumprimento da convocação de Guedes ao Congresso Nacional para prestar esclarecimentos. O ministro era esperado na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (16) mas está em Dubai acompanhando Jair Bolsonaro. Para se livrar da convocação, Guedes encaminhou um ofício e pediu ‘por gentileza’ aos parlamentares que se contentem com as informações encaminhadas no documento.
 
O caso de Guedes foi revelado pelo Pandora Papers, um conjunto de informações obtidas e reveladas pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos, o ICIJ. A suspeita é de que o ministro tenha violado os artigos do Código de Conduta da Alta Administração Federal e usado informações privilegiadas para ampliar seu lucro nas empresas que mantém no Caribe.
 
De acordo com as informações divulgadas até o momento, com a sua atuação junto ao governo federal, Guedes fez saltar o montante mantido na offshore de 16 milhões de reais para aproximadamente 51 milhões de reais.
 
“O que ele tem a esconder, por que não vem à Câmara e se explica? Enquanto ele usou informações privilegiadas para lucrar milhões sem pagar imposto, tem brasileiro se alimentando de osso e sebo”, reforça o parlamentar na denúncia.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp