15/11/2021 às 14h16min - Atualizada em 15/11/2021 às 14h16min

Steve Bannon, aliado de Trump, se entrega ao FBI

Ele não foi prestar depoimento em uma comissão parlamentar que investiga a invasão do Congresso no dia 6 de janeiro. A Justiça considerou que ele tinha obrigação de cumprir o mandado.

Redação
Steve Bannon, um aliado do ex-presidente Donald Trump, dos Estados Unidos, se entregou ao FBI nesta segunda-feira (15). Ele é acusado criminalmente de ter desobedecido um mandado que o comitê legislativo que investiga a invasão do Congresso dos EUA em 6 de janeiro.
 
Ele foi denunciado duas vezes por desacato na sexta-feira (12): por se recusar a comparecer para depor e por se recusar a fornecer documentos em resposta a uma intimação da comissão.
 
“Estamos derrubando o regime de Biden, eu quero que vocês fiquem focados, isso é só ruído”, ele disse antes de se entregar.
 
Ele deve ser ouvido por um juiz ainda nesta segunda-feira.
 
Deputados americanos querem processar Steve Bannon por desacato
Em outubro, a Câmara dos Representantes, de maioria democrata, aprovou uma resolução contra Bannon com 229 votos a favor – nove deles de republicanos – e 202 contra, pedindo ao Departamento de Justiça que tomasse providências contra o ex-estrategista de Trump.
 
A comissão de investigação quer que Bannon deponha por acreditar que ele “tinha algum conhecimento prévio dos acontecimentos extremos que aconteceram” em 6 de janeiro, quando Trump incentivou uma insurreição no momento em que o Congresso se reunia para ratificar a vitória eleitoral do agora presidente Joe Biden. O protesto logo se transformou numa tentativa de golpe contra o Legislativo, com a invasão ao prédio do Congresso.
 
Bannon deu declarações em seu podcast na véspera do ataque ao Capitólio que causaram a suspeita: “Será que o caos se vai instalar amanhã? Muitas pessoas me disseram: ‘Se houvesse uma revolução, seria em Washington’. Bem, este vai ser o momento de vocês na história”, disse Bannon aos seguidores.
 
Segunda prisão
Essa não é a primeira vez que Bannon é preso. Em agosto de 2020, ele foi detido sob a acusação de desviar dinheiro de uma campanha de apoio à construção de um muro entre os Estados Unidos e o México.
 
Na ocasião, ele pagou US$ 5 milhões de fiança e saiu da prisão.
 
A campanha “We Built That Wall” (nós construímos o muro, em tradução literal) arrecadou US$ 25 milhões (cerca de R$ 142 milhões) que foram doados por centenas de milhares de pessoas.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp