06/12/2019 às 18h27min - Atualizada em 06/12/2019 às 18h27min

Relação do clã Bolsonaro com assassino de Marielle é prioridade nas investigações, diz colunista

Segundo Plínio Fraga, não é apenas a proximidade de Carlos Bolsonaro com Ronnie Lessa que tem sido investigada, mas também os “vínculos antigos” de Lessa com o clã.

Quase dois anos sem conseguir chegar aos mandantes do assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes, a Polícia Civil está focada agora em desvendar as relações da família Bolsonaro com Ronnie Lessa, apontado como autor dos disparos daquele 14 de março de 2018.

As informações são do colunista Plínio Fraga, do Portal UOL, que trouxe detalhes sobre os rumos da investigação nesta sexta-feira (6).

A ligação do vereador Carlos Bolsonaro (PSC) com Ronnie Lessa era um dos pontos que a polícia parecia dar mais ênfase após as inconclusões das hipóteses anteriores. No entanto, os policiais pretendem ir além do filho de Bolsonaro e ir atrás dos vínculos antigos que unem o sargento reformado com a família.

“Os investigadores do caso Marielle aprofundam a informação de que integrantes da família Bolsonaro ajudaram na recuperação de Lessa após o atentado de 2009, o que mostraria uma ligação antiga do acusado com o clã”, pontua Fraga, que destaca também que “de modo lateral, por diversas vezes a família Bolsonaro aparece nas investigações ligadas a envolvidos no assassinato de Marielle Franco”.

O colunista lembra que Jair Bolsonaro (Sem Partido) aparece em fotos com Élcio Queiroz, dono do Cobalt preto usado na emboscada, e Josinaldo Lucas Freitas, o Djaca, acusado de ter jogado no mar as armas usadas na execução. Além disso, o ex-PM Adriano da Nóbrega recebeu homenagens na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ) por indicação do então deputado estadual Flávio Bolsonaro (Sem Partido).


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp