20/05/2021 às 10h47min - Atualizada em 20/05/2021 às 10h47min

Pazuello tenta fazer discurso louvando sua condição de militar na abertura da CPI e é repreendido

O clima na abertura do segundo dia do depoimento do general Pazuello à CPI da Pandemia mudou radicalmente em relação ao que acontecera na véspera. O ex-ministro foi repreendido por dois senadores por ter iniciado um discurso louvando sua condição de militar.

Na abertura do segundo dia de seu depoimento à CPI da Pandemia, na manhã desta quinta-feira (20), o general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, foi repreendido pelos senadores ao tentar abrir os trabalhos com um discurso louvando sua condição de general. Com isso, fracassou a tentativa de Pazuello de repetir a estratégia da véspera, quando impôs-se por sua condição de general no início da sessão e foi agressivo com o senador Renan Calheiros (MDB), relator da comissão.

A repreensão pública foi feita pelo senador Eduardo Braga (MDB) e pelo presidente da CPI, Omar Aziz (PSD). Braga havia feito uma pergunta sobre a posição de Pazuello a respeito do uso de máscaras e distanciamento social e ele começou um discurso com sua condição de militar: “eu sou oficial general”, afirmando ter compromisso com a verdade porque isso “é parte do manual do Exército”. Foi interrompido por Eduardo Braga que reclamou do discurso e pediu que ele respondesse à pergunta. Omar Aziz em seguida afirmou que o ex-ministro está na CPI para responder às perguntas dos senadores.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp