07/05/2021 às 21h58min - Atualizada em 07/05/2021 às 21h58min

China pisa no freio na entrega de insumos para vacinas ao Brasil

Embaixador chinês, Yang Wanming, se reuniu com ministros do governo Bolsonaro e citou a forte demanda internacional pelo IFA e a necessidade do país asiático intensificar a vacinação de sua própria população.

Depois que foi atacada por Jair Bolsonaro (Sem Partido) com uma insinuação de que teria criado o coronavírus, a China agora evita falar em prazos para a entrega de insumos e imunizantes ao Brasil.

O aviso foi dado pelo embaixador chinês em Brasília, Yang Wanming, durante reunião nesta sexta-feira (7) com os ministros da Economia, Paulo Guedes; das Relações Exteriores, Carlos França; e da Saúde, Marcelo Queiroga, além de representantes do Butantan e da Fiocruz.

Oficialmente, a China atribui a decisão à forte demanda internacional pelo Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) e argumenta que é preciso dar um ritmo mais rápido à vacinação da sua própria população, segundo o jornal O Globo.

O Brasil espera o fornecimento de IFAs para fabricar 60 milhões de doses da vacina Oxford-AstraZeneca, além de outras 30 milhões de doses do imunizante da Sinopharm. A expectativa é que os produtos sejam entregues ainda neste semestre.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp