07/05/2021 às 19h33min - Atualizada em 07/05/2021 às 19h33min

Doria toma a primeira dose da vacina CoronaVac contra a Covid-19, em São Paulo - SP

Nesta última semana, a faixa etária de 60 anos só conseguia encontrar vacinas da Pfizer ou da Aztrazeneca nos postos e drive-thrus da capital paulista. A CoronaVac está em falta e ao menos 32 cidades do estado estão sem o imunizante. Imunização para faixa-etária de Doria começou no estado no dia 29 de abril. Ele disse ter tomado a vacina da gripe do final do mês passado e, por isso, aguardava o término do intervalo.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), recebeu a primeira dose da vacina CoronaVac contra a Covid-19 nesta sexta-feira (7).

Nesta última semana, a faixa etária de 60 anos só conseguia encontrar vacinas da Pfizer ou da Aztrazeneca nos postos e drive-thrus da capital paulista. A CoronaVac está em falta e ao menos 32 cidades do estado estão sem o imunizante e suspenderam total ou parcialmente a aplicação da segunda dose.

Segundo a Prefeitura de São Paulo - SP, até esta quinta-feira (6), a CoronaVac estava sendo aplicada nos postos da capital paulista apenas em pessoas que já estavam na segunda dose.

Doria foi vacinado pela primeira pessoa imunizada contra a Covid-19 no Brasil, a enfermeira Mônica Calazans, e se disse honrado. O governador enalteceu o fato de ter tomado a CoronaVac, produzida pelo Butantan, em parceria com a farmacêutica, SinoVac.

“Todas as vacinas são boas, mas a minha foi Coronavac. "Olha como é o mundo. No início de janeiro a CoronaVac era a vacina da China, a ‘vachina’, a vacina do jacaré, que ia deixar você com sequelas, paralítico, a vacina do Doria. Hoje, ela é a mais querida do Brasil. É a CoronaVac que todos querem tomar. Confiança é credibilidade do Instituto Butantan que já salvou 43 milhões no Brasil. 43 milhões que tomaram a CoronaVac”, disse.

"Briguei durante meses com o governo federal que não queria comprar essa vacina. O presidente da República disse que não ia comprar e ponto. Em alto e bom som. Hoje é a vacina q mais salva vidas. Se não fosse o negacionismo e um esforço contra a vacina, Paulo Gustavo e outros brasileiros poderiam ter sido salvos antes", completou.

Doria chegou ao Centro de Saúde I “Doutor Victor Araújo Homem de Mello”, na Rua Ferreira Araújo, em Pinheiros, Zona Oeste da capital paulista, pouco antes das 16h. O governador estava acompanhado da primeira-dama Bia Doria, do secretário da Saúde, Jean Gorinchteyn, e tirou fotos com pessoas que, assim como ele, estavam na fila à espera da vacinação.

No estado, a vacinação para a faixa-etária de Doria, que tem 63 anos, começou a ser feita no dia 29 de abril. Bia Doria, que tem 60 anos, também foi vacinada.

Depois, Doria postou uma foto com um filtro de Jacaré do Instagram e escreveu “Esperei minha vez, entrei na fila do posto de saúde e fui vacinado aos 63 anos. E não virei jacaré”, em referência à frase de Bolsonaro no final do ano passado: “Se tomar vacina e virar jacaré não tenho nada a ver com isso”.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp