05/05/2021 às 10h47min - Atualizada em 05/05/2021 às 10h47min

Pazuello pretendia atacar STF e Barroso antes de fugir da CPI

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, que deveria ir à CPI da Pandemia nesta quarta-feira (5), tinha como alvos principais de seu depoimento o STF e o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso.

O depoimento que o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello faria nesta quarta-feira (5) à CPI da Pandemia tinha como alvos o Supremo Tribunal Federal (STF) e o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso. A ida de Pazuello ao colegiado foi adiada para o dia 19 após ele alegar ter mantido contato com pessoas que poderiam estar infectadas pelo coronavírus.

De acordo com a coluna da jornalista Bela Megale, do jornal O Globo, o general pretendia endossar as declarações de Jair Bolsonaro (Sem Partido) de que o STF impossibilitou a implantação de um plano centralizado de enfrentamento à doença ao decidir que Estados e municípios tinham autonomia para adotar medidas de combate ao coronavírus.

Pazuello, que durante o final de semana passou por um treinamento para ajustar o seu depoimento às diretrizes do Planalto, também estava pronto para atacar o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso.

O foco do ataque seria o fato de Barroso não ter atuado para impedir a realização das eleições municipais de 2020, o que teria impulsionado o avanço da segunda onda da Covid-19 no país.

Apesar do depoimento de Pazuello ter sido adiado, integrantes do governo Jair Bolsonaro avaliam que o roteiro deverá permanecer inalterado.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp