11/03/2021 às 10h18min - Atualizada em 11/03/2021 às 10h18min

“Não temos saída a não ser avançar nas medidas de restrição”, diz secretário municipal da Saúde de São Paulo

Edson Aparecido defendeu necessidade de endurecimento da fase vermelha para reduzir a circulação de pessoas nas ruas e conter o avanço da Covid-19.

O secretário municipal da Saúde de São Paulo - SP, Edson Aparecido, defendeu nesta quinta-feira (11) regras mais rígidas de circulação na cidade para tentar conter o avanço da pandemia.

“Não temos saída a não ser avançar nas medidas de restrição. Não há outra alternativa”, disse o secretário em entrevista ao Telejornal Bom Dia São Paulo.

Desde o dia 6 de março a capital e demais cidades do estado estão na fase vermelha, a mais restritiva do plano estadual de flexibilização econômica.

Pela regra, apenas serviços essenciais, além de escolas e atividades religiosas, estão autorizados a operar. Apesar das medidas, o sistema de saúde da capital enfrenta sobrecarga e risco de colapso.

A expectativa era a de que o governo de São Paulo divulgasse nesta quarta-feira (10) restrições mais rígidas para o funcionamento dos setores autorizados em todo o estado. Entretanto, a gestão de João Doria (PSDB) alegou que ainda avalia os dados e o anúncio deve ser feito até sexta-feira (12).

A cidade de São Paulo tem 250 pacientes na fila de espera por leito de UTI. A ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) chegou a 83% em hospitais públicos e particulares da capital paulista. A taxa é a maior desde início da pandemia.

Aparecido também afirmou que não há registro de mortes à espera de leito de UTI na cidade de São Paulo, como já ocorre na Grande São Paulo.

Secretário disse que prefeitura inaugurou o Hospital Cantareira, na Zona Norte, alugou mais 50 respiradores para abrir novos leitos de UTI no Hospital de Parelheiros, na Zona Sul, nos próximos dias, e vai começar a transferir pacientes diagnosticados com outras doenças para leitos alugados na rede particular.

“Todo esse esforço é absolutamente insuficiente se as pessoas não perceberem que estamos em um momento trágico, dramático, precisam circular menos na cidade para que o vírus não se dissemine com a velocidade que está se disseminando e para que a gente consiga tratar as pessoas que precisam ser tratadas”, disse ele.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp