04/11/2019 às 11h25min - Atualizada em 04/11/2019 às 11h25min

Bolsonaro volta atrás e diz que não pegou e nem fez backup de áudios da portaria do condomínio

Jair Bolsonaro fez referência aos áudios da portaria do seu condomínio que auxiliam nas investigações do caso Marielle Franco. “O que eu fiz foi filmar a secretária eletrônica com a respectiva voz de quem atendeu o telefone. Só isso, mais nada”, disse. O ocupante do Planalto havia dito que pegou a memória da secretária eletrônica.

Jair Bolsonaro (PSL) recuou neste domingo (3) e afirmou que não pegou nem fez backup dos atendimentos da portaria do condomínio Vivendas da Barra, onde está sua casa no Rio de Janeiro – (RJ).

Antes ele havia dito: “pegamos toda a memória da secretária eletrônica”. O ex-policial Ronnie Lessa era vizinho do ocupante do Planalto e atualmente está preso. Ele é acusado de ser autor dos tiros que mataram em ex-vereadora do Rio Marielle Franco (PSOL), em 14 de março do ano passado. O homicídio está ligado ao crime organizado.

“O que eu fiz foi filmar a secretária eletrônica com a respectiva voz de quem atendeu o telefone. Só isso, mais nada. Não peguei, não fiz backup, não fiz nada. E a memória da secretária eletrônica está com a Polícia Civil há muito tempo. Ninguém quer adulterar nada, não. O caso Marielle, eu quero resolver também. Mas querer botar no meu colo é, no mínimo, má-fé e falta de caráter”, disse Bolsonaro na noite do domingo, na saída de uma partida entre Itália e Paraguai pela Copa do Mundo Sub-17 no Estádio Bezerrão, no Gama, região administrativa do Distrito Federal.

Outro suspeito do crime, Élcio Vieira de Queiroz, também acessou o condomínio e, segundo as investigações, dirigia o carro em que estava Ronnie Lessa. Queiroz é o mesmo que havia postado no Facebook uma foto ao lado de Bolsonaro.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp