10/02/2021 às 10h30min - Atualizada em 10/02/2021 às 10h30min

Jovem terá de fazer transplante de fígado por uso de Ivermectina, denuncia médico

Frederico Fernandes, presidente da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia, disse que teve que “trancar” o Twitter “devido a ataques e agressividade sobre a publicação”.

Presidente da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT), o médico Frederico Fernandes precisou fechar perfis nas redes sociais por sofrer uma série de ataques ao denunciar que um paciente jovem terá que se submeter a um transplante de fígado depois de usar ivermectina para tratamento precoce da Covid-19.

Fernandes diz que foi acionado para fazer a avaliação de um paciente com hepatite medicamentosa - uma grave inflamação do fígado causada pelo uso prolongado de determinados medicamentos.

“Me solicitaram avaliação para uma paciente com hepatite medicamentosa. Está a um passo de precisar de um transplante de fígado. Ganha um troféu quem adivinhar qual medicação foi a culpada. Hepatite medicamentosa por Ivermectina. 18 mg por dia por uma semana. Por COVID leve em jovem”, tuitou o pneumologista no sábado (6).

O medicamento, junto com a cloroquina, consta no “kit Covid”, defendido por Jair Bolsonaro (Sem Partido) e pelo Ministério da Saúde para tratar a Covid-19.

Um dia depois, no fim do domingo (7), Fernandes voltou à rede para dizer que teve que “trancar” o Twitter “devido a ataques e agressividade por uma postagem que viralizou”.

“Tive que trancar o Twitter por um tempo devido a ataques e agressividade por uma postagem que viralizou. Não entendo pq as pessoas se tornam tão agressivas na troca de ideias sobre a pandemia. Evito discussão política no meu perfil mas ainda assim recebi ataques”, tuitou.

Na terça-feira (9), o médico voltou às redes para comentar sobre “teorias conspiratórias” envolvendo a cloroquina.

“Médicos são contra a cloroquina pq é um remédio barato. Querem ganhar a comissão das vacinas milionárias. Preço de uma caixa de cloroquina: 57 reais. Preço da Coronavac: 54 reais”, tuitou.

Fernandes ainda insinuou que médicos estariam recebendo “comissão” ao receitar a cloroquina, prática comum feita por laboratórios para alavancar vendas de medicamentos.

“E não sei de ninguém ganhando comissão por vacina aplicada”.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp