07/02/2021 às 11h50min - Atualizada em 07/02/2021 às 11h50min

General Santos Cruz sinaliza apoio a Mourão e diz que não vê problema se Bolsonaro sair

“A linha sucessória está prevista em lei, tem gente responsável por tocar para frente. Não vejo problema nenhum se ele ficar, ou se ele sair. O país não vai parar por causa disso. Passa por aquele trauma e vai em frente”, disse ele.

O general Carlos Alberto dos Santos Cruz, um dos maiores críticos de Jair Bolsonaro (Sem Partido) nas Forças Armadas, concedeu uma entrevista neste domingo (7) ao jornalista Ricardo Balthazar, no jornal Folha de S. Paulo, e sinalizou certo apoio ao vice Hamilton Mourão (PRTB).

“O afastamento do presidente seria desejável? Nunca é desejável. Até pode ser, se você tiver uma pessoa desequilibrada no cargo. Aí tem que impedir que prossiga, por uma questão de saúde mental”, disse ele.

“A linha sucessória está prevista em lei, tem gente responsável por tocar para frente. Não vejo problema nenhum se ele ficar, ou se ele sair. O país não vai parar por causa disso. Passa por aquele trauma e vai em frente”, afirmou ainda.

Santos Cruz também criticou a compra de deputados do centrão feita pelo governo federal. “Na época em que buscava cativar os eleitores, ele falava barbaridades do centrão. Tratava o grupo como uma aglomeração de pessoas que não tinham compromisso nenhum e só se preocupavam em preservar a própria impunidade. Agora, ele faz uma virada como essa aí. Há uma incoerência, e fica difícil estabelecer uma relação de confiança quando você faz esse tipo de coisa”, afirma.

“Na realidade, o que houve foi uma compra. Vão gastar bilhões de reais com as emendas dos parlamentares. Então não me parece uma coisa consistente, porque a influência do dinheiro é muito pesada. Uma negociação política desse tipo, para gerar confiança, precisa se sustentar em outros princípios, para produzir algo mais sólido”, diz o general.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp