05/08/2020 às 12h42min - Atualizada em 05/08/2020 às 12h45min

Justiça determina o sequestro de bens e valores em até R$ 11,3 mi de Alckmin, tesoureiro e ex-assessor

Sequestro de bens e valores no valor de até R$ 11,3 milhões do ex-governador Geraldo Alckmin e de outras duas pessoas ligadas ao tucano foi determinado pelo juiz da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, Marco Antonio Martin Vargas, no âmbito da Lava Jato.

O juiz da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo - SP, Marco Antonio Martin Vargas, determinou o sequestro de bens e valores depositados em contas bancárias no valor de até R$ 11,3 milhões do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) e de outras duas pessoas ligadas ao tucano. A decisão do magistrado atendeu a um pedido da Polícia Federal (PF) no âmbito da Lava Jato Eleitoral.

Alckmin foi denunciado pelo recebimento indevido de R$ 2 milhões da empreiteira Odebrecht na campanha ao governo estadual em 2010 e R$ 9,3 milhões quando disputou a reeleição, em 2014.

Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, além de Alckmin, a medida também alcança o tesoureiro da campanha do ex-governador em 2014, Marcos Antônio Monteiro, e o ex-assessor da Secretaria de Planejamento na época em que o tucano ocupou o comando do Executivo paulista, Sebastião Eduardo Alves de Castro.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp