26/06/2020 às 00h22min - Atualizada em 26/06/2020 às 00h22min

Maia rebate Bolsonaro: “Se governo enviar auxílio parcelado, deputados aumentam para R$ 600”

Maia afirmou que, caso o governo envie uma proposta reduzindo o valor do auxílio, o parlamento vai aumentar o valor de todas as parcelas para R$ 600.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), afirmou que, se o governo federal insistir e enviar à Casa um projeto que prevê a redução no valor do auxílio emergencial, como informou Jair Bolsonaro nesta quinta-feira (26) em live nas redes sociais, os parlamentares devem aumentar o valor das três parcelas novamente para R$ 600.

“Acho que sim. R$ 500 + R$ 400 + R$ 300 dão duas parcelas de R$ 600. Não estou entendendo onde está o problema”, disse Maia. “Estamos ouvindo que o governo está construindo a proposta chamada Renda Brasil, sendo que existem muitos parlamentares que discutem há muitos anos”, reforçou.

Bolsonaro disse que o governo estuda prorrogar a concessão do benefício por mais três meses, mas com parcelas inferiores ao valor original: uma de R$ 500, seguida de R$ 400 e, por último, uma de R$ 300.

Maia enfatizou que o plenário deverá aumentar o valor de todas as parcelas para R$ 600. Ou seja, o montante total, que seria de R$ 1,2 mil - mesmo valor defendido por Maia pela prorrogação de mais duas parcelas de R$ 600 -, poderá ser de R$ 3,6 mil, levando-se em conta casos em que o beneficiário recebe em dobro, como mulheres sem maridos ou companheiros e que moram com crianças ou adolescentes de até 18 anos.

“Nós poderíamos estar fazendo esse debate em conjunto, governo e Parlamento. Para que num prazo de 60 dias nos pudéssemos chegar a um texto que de fato melhorasse, aprimorasse e focasse melhor os programas sociais no Brasil”, criticou.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp