16/06/2020 às 23h27min - Atualizada em 16/06/2020 às 23h27min

Aroeira: perseguição a cartunistas é um baita tiro no pé

A repercussão da charge de Renato Aroeira prossegue forte nos veículos de imprensa brasileiros e internacionais. Ao portal UOL, o cartunista disse: “do ponto de vista político, é um baita tiro no pé (...) na verdade, deu uma visibilidade à minha charge que eu não poderia imaginar que ela teria”.

O cartunista Renato Aroeira ganhou destaque em vários veículos tradicionais de comunicação nesta terça-feira (16). Destacou-se, de maneira geral, a imensa rede de solidariedade que foi gerada em torno do cartunista.

Ao Portal UOL, Aroeira contou como soube do possível enquadramento na Lei de Segurança Nacional: “vi uma corrente de solidariedade no Facebook. Perguntei: que diacho aconteceu? Vi o Twitter da Secom, que estou chamando de Secen, Secretaria de Censura, que é basicamente o que eles fazem. Aí comecei a ver os desdobramentos no Brasil 247 e Jornalistas pela Democracia, que começaram a comentar. Veio uma onda de solidariedade absurdamente gigante, fiquei muito emocionado com isso. Mas, claro, tenso”.

O cartunista ainda explicou suas outras charges que aludiram ao nazismo, e que não motivaram perseguição: “fiz uma charge com Bolsonaro ainda candidato, também usando a cruz nazista, e ele me processou alegando grande tristeza, infelicidade e angústia moral por ter sido ofendido e caluniado. A juíza na sentença disse que um cara que tira fotos com alguém fantasiado de Hitler e não se sente constrangido, não vai se sentir constrangido com aquela charge. Achei mortal essa sentença. Espero que ela seja reproduzida. Já existe até uma certa jurisprudência formada”.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp