10/06/2020 às 10h39min - Atualizada em 10/06/2020 às 10h39min

Barroso rebate bolsonaristas e ironiza: “militares vão dar golpe em nome da cloroquina?”

O ministro do STF rebateu as críticas dos bolsonaristas, que atribuem à suprema corte as atuais mazelas do país. Disse que os militares já estão no governo e não teriam por que dar um golpe. Ironicamente, questiona: com os militares no governo, dar um golpe não faria sentido. “eles vão dar o golpe [em nome] de quê? Difundir a cloroquina?”

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso disse que o governo Bolsonaro tem um “paraquedista” no Ministério da Saúde, e que isto não é culpa do STF. Ele rebate os bolsonaristas que condenam a corte e afirma que não foram as decisões do Supremo que fizeram o Brasil ter o pior combate à pandemia no mundo.

Barroso citou as mazelas do Brasil e perguntou se o real foi “a moeda que mais se desvalorizou” no planeta ou se “temos sido o pior país no combate à pandemia no mundo” porque Alexandre de Moraes impediu a nomeação de Ramagem na PF ou porque ele impediu a expulsão de venezuelanos do Brasil.

O ministro também disse que não é por causa do STF que o país está em seu terceiro ministro da Saúde, Eduardo Pazuello (interino), “que é paraquedista, e não sanitarista ou epidemiologista ou infectologista”, e não tem experiência como gestor.

Barroso não vê risco de golpe militar. Com ironia, perguntou se os militares que já estão no governo dariam um golpe para difundir a cloroquina e refutou os bolsonaristas sobre o suposto papel moderador das Forças Armadas, que supostamente seria atribuído pelo artigo 142 da Constituição. Ele classificou o argumento como “terraplanismo constitucional” e disse que ele passa dos limites do “erro razoável”.

As declarações foram dadas em live da Associação Livres, informa a coluna Painel do jornal Folha de S.Paulo.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp