29/04/2020 às 10h29min - Atualizada em 29/04/2020 às 10h31min

Bolsonaro dará ao centrão controle de R$ 68,5 bilhões em troca de apoio no Congresso

Do montante, R$ 10,6 bilhões podem ser remanejados para ser usado conforme o desejo dos políticos do centrão, principalmente do PP, PL, Republicanos e PSD, que juntos somam 146 deputados na Câmara.

A banca de negociações armada no Palácio do Planalto por Jair Bolsonaro (Sem Partido) para montar uma bancada pró-governo no Congresso negocia cargos que controlará cerca de R$ 65,8 bilhões do orçamento em 2020, segundo levantamento realizado por André Shalders, do site da BBC Brasil.

Desse total, R$ 10,6 bilhões podem ser remanejados para serem usados conforme o desejo dos políticos do centrão, principalmente do PP, PL, Republicanos e PSD, que juntos somam 146 deputados na Câmara. A reboque, Bolsonaro tenta cooptar ainda parlamentares do PTB, PSC, PROS, Solidariedade e Podemos, que fazem parte do grupo.

Segundo a reportagem, o montante refere-se aos orçamentos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), o Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs ), da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Banco do Nordeste.

O Banco do Nordeste ainda é responsável pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), que soma recursos extras de R$ 29,3 bilhões para serem usados por governos da região, onde Bolsonaro tem a maior rejeição.

Os partidos do centrão também negociam a indicação de secretarias no Ministério da Saúde - especialmente as de Vigilância em Saúde (SVS) e a de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos (SCTIE). Num momento de pandemia do novo coronavírus, a importância destes cargos transcende o orçamento do Ministério da Saúde, que é de R$ 148,2 bilhões em 2020.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp