09/07/2024 às 15h01min - Atualizada em 09/07/2024 às 15h01min

Alckmin: “Unindo esforços para a geração de emprego e de renda”

Presidente em exercício participou da abertura do Transformar Juntos 2024, do Sebrae, e destacou iniciativas do Governo Federal para apoiar pequenas empresas.

Redação
Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República
Foto: Cadu Gomes/Vice-Presidência da República – Presidente em exercício Geraldo Alckmin durante a abertura do evento Transformar Juntos 2024, em Brasília – DF
O presidente da República em exercício, Geraldo Alckmin (PSB), destacou diversas iniciativas do Governo Federal de apoio às micro e pequenas empresas durante a abertura do evento Transformar Juntos 2024, promovido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Os ministros do Turismo, Celso Sabino, e do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho, também estiveram presentes.
 
Entre os programas citados por Alckmin estão o Acredita, que oferece crédito com taxa de juros diferenciadas para os pequenos empreendedores, e o Desenrola Pequenos Negócios, para facilitar acesso a crédito e renegociação de dívidas. “Lançou agora com o Márcio França [ministro do Empreendedorismo] o Acredita, o Fundo de Aval do Sebrae e o Desenrola da Pequena Empresa. Já foram R$ 2,5 bilhões renegociados. Quem estava devendo, você renegocia, consegue um novo crédito para poder crescer e poder avançar mais”, ressaltou Alckmin.
 
O presidente em exercício enfatizou um conjunto de políticas e iniciativas governamentais voltadas para fortalecer as micro e pequenas empresas, promover inovação, sustentabilidade e facilitar o comércio exterior para impulsionar o desenvolvimento econômico do Brasil. Entre os destaques está a desburocratização das licenças para exportação.
 
O evento Transformar Juntos 2024 acontece em Brasília – DF e promove o debate e a troca de experiências sobre políticas públicas voltadas para os territórios e municípios, na área de compras públicas de micro e pequenas empresas; simplificação do ambiente de negócios; estímulo às economias portadoras de futuro com ações de turismo, sustentabilidade, economia criativa, inovação e energia, além de impulsionar a educação empreendedora no país.
 
“Uma boa parceria com os municípios, procurando incentivar emprego, incentivar renda, lá na ponta, nos territórios e municípios. Isso passa por compras governamentais, por crédito, por treinamento, por exportação, por competividade. Unindo esforços, transformar juntos para a geração de emprego e de renda”, pontuou Alckmin.
 
O presidente em exercício também incluiu a necessidade de iniciativas de estímulo ao associativismo, cooperativismo e inovação industrial. “Associativismo, o pequeno precisa se associar. Ele tem que estimular que eles se unam. O cooperativismo. Se eu produzo leite, 50 litros, ele 60, ele 70 e ele 80, se juntar todo mundo numa cooperativa, nós industrializamos. Fazemos queijo, manteiga, vendemos, exportamos, vamos para a ponta. Então, é estimular o associativismo e o cooperativismo”, disse.
 
Outro destaque é o setor de turismo no Brasil. Geraldo Alckmin evidenciou o aumento significativo no número de turistas estrangeiros no país, o que gera empregos diretos no setor de serviços, como pousadas, hotéis, restaurantes e táxis.
 
“Em quatro meses, 3,2 milhões de turistas estrangeiros. O recorde tinha sido 6,6 milhões no ano. No mínimo, nós estamos falando de 9,6 milhões de turistas estrangeiros. Isso é emprego na veia. Porque o turismo é muita pousada, hotel, restaurante, táxi, movimenta a economia, o setor de serviços”, disse Alckmin, enfatizando que o turismo é visto como um setor que impulsiona a economia e contribui para a geração de empregos.
 
Economia
O presidente em exercício apresentou três indicadores-chave para avaliar a situação econômica do Brasil: taxa de desemprego, inflação e Risco Brasil. “A taxa de desemprego caiu para 7,1%. A inflação, que estava em 4,5, caiu para 3,7. E o Risco Brasil, que era 256, caiu para 160. Caiu o Risco Brasil, caiu o desemprego, caiu a inflação, melhora a renda da população. Então, o que está impulsionando a economia é a renda, porque se cai a inflação e cresce o emprego, você melhora a renda da população”, detalhou Alckmin.
 
Turismo
O ministro Celso Sabino celebrou a parceria do Governo Federal com o Sebrae para contribuir com o fortalecimento do turismo no país. “O turismo já contribui com 8% do PIB brasileiro e seguimos firmes para alcançar os dois dígitos. Sabemos que essa atividade emprega milhares de pessoas em todo o país”, ressaltou Sabino.
 
Ele também destacou que o Sebrae tem contribuído com as ações internacionais e nacionais, com reconhecimento de que quase todos os empreendedores da indústria do turismo são micro e pequenos empreendedores. “Hoje o Brasil bate todos os recordes no turismo. No ano passado, nós superamos todos os recordes em números de brasileiros viajando dentro do país.”, disse o ministro.
 
Sabino também frisou que o país segue para bater o recorde de turistas estrangeiros no país em 2024, que será possível devido ao reconhecimento internacional do Brasil. “Essa marca vai ser possível graças aos esforços dos programas de distribuição de renda, da promoção internacional, aos esforços do Governo Federal na área da segurança pública e educação”.
 
Trabalho e Emprego
O ministro Luiz Marinho também participou da abertura do evento e destacou os números de geração de emprego formal no Brasil. Segundo o titular do Trabalho e Emprego, as pequenas empresas e negócios geram a maioria dos empregos formais no país.
 
“As oportunidades que temos que construir na sociedade no segmento empresarial é aqui que geram grande parte de empregos e trabalhos do Brasil. Registro a gratidão às pequenas empresas que atuam e trabalham duramente em cada dia do nosso país. Nesse processo de reconstrução, no ano passado geramos 1,5 milhão de empregos formais”, disse Luiz Marinho.
 
O ministro do Trabalho e Emprego também afirmou que o Brasil é um lugar seguro para investimentos estrangeiros e que o Brasil tem capacidade de cumprir com os compromissos financeiros. “Nós podemos garantir que qualquer investidor que queira vir para cá para auxiliar com a economia brasileira pode vir tranquilamente, porque o Brasil tem todas as condições de honrar todos os seus compromissos”, afirmou Marinho.
 
Décio Lima, presidente do Sebrae, também enfatizou a quantidade de empregos gerados pelas micro e pequenas empresas. De acordo com ele, de 10 empregos gerados, oito são originários dessas empresas. “É esse setor que representa 90% do turismo, é esse setor que é 95% dos CNPJ brasileiros”, disse.
 
Ao olhar para essas empresas, o presidente do Sebrae enalteceu a criação do Ministério do Empreendedorismo, da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, destacando a importância de garantir que micro e pequenas empresas sejam visíveis e recebam apoio adequado na economia brasileira.
 
“Para que esse público não fique invisível na economia brasileira, para que nós possamos ter, efetivamente, política de Estado. O Estado precisa ter instrumentos cada vez mais protetivos para as micros e pequenas empresas, porque elas representam o retrato da solução dos processos de inclusão com os números da empregabilidade. E esses números, diante do comportamento da vida do povo brasileiro, eles se transformam numa realidade concreta”, afirmou Lima.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp