15/05/2024 às 11h50min - Atualizada em 15/05/2024 às 11h50min

DER amplia sinalização na SP 613 com implantação de sonorizadores e linhas de estímulo a redução da velocidade

Medidas visam reduzir atropelamentos em trechos localizados no Parque Estadual Morro do Diabo e Estação Ecológica Mico-Leão-Preto.

Redação
Foto: Divulgação/DER
Com o objetivo de reforçar o alerta aos usuários sobre a presença de fauna silvestre e evitar atropelamentos, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), órgão vinculado à Secretaria de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística (Semil), ampliou a sinalização horizontal na Rodovia Arlindo Béttio (SP 613), em Teodoro Sampaio, na região de Presidente Prudente. Foram implantados na pavimentação sonorizadores transversais e linhas de estímulo à redução de velocidade (LRV) nos trechos da rodovia que atravessam as Unidades de Conservação Parque Estadual Morro do Diabo (PEMD) e Estação Ecológica Mico-Leão-Preto (ESEC MLP).
 
A sinalização ampliada vem se juntar a outras medidas já adotadas, como a instalação de dois radares fixos nos pontos mais críticos em termos de presença de animais. Os novos dispositivos de segurança viária induzem o condutor a diminuir a velocidade do veículo naquele trecho da rodovia, cujo limite passou de 70 km/h para 30 km/h.
 
Ao todo, foram executados 14 pontos com linhas de estímulo à redução de velocidade, na cor branca e em alto relevo, dos quais oito pontos na região do PEMD e seis pontos na ESEC MLP.
 
Já os sonorizadores que acompanham esses pontos possuem efeito sonoro-vibratório para aviso aos usuários sobre a presença da fauna silvestre e a necessidade de os motoristas reduzirem a velocidade. O efeito é sentido pelos condutores dos veículos quando trafegam no local.
 
Além das medidas de sinalização, o DER atuou também em mais equipamentos para a fauna. No mesmo local também serão construídas rampas de escape do novo sistema de cercas contínuas, que foram planejadas pelo DER em conjunto com a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), Fundação Florestal e ICMBio, para as duas unidades de conservação. As cercas acompanham o traçado da via, dos dois lados, direcionando os animais para as passagens de fauna. As rampas de escape, ou “jump-outs”, consistem em uma elevação de terra, na altura da cerca, de tal forma que os animais que ainda porventura consigam acessar a rodovia, tenham a possibilidade de fuga, pulando para o outro lado e retornando a área segura das Unidades de Conservação.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp