04/08/2022 às 12h37min - Atualizada em 04/08/2022 às 12h37min

Falta de chuvas já reflete no volume das represas e população deve economizar água

Ações que geram desperdício de água são passíveis de multa em Vinhedo – SP

Redação
Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Vinhedo - SP
Com a diminuição do volume dos reservatórios de água e diante da baixa vazão dos mananciais por falta de chuvas, a Sanebavi chama a atenção da população para a necessidade do uso responsável da água neste período de grave escassez. De acordo com dados da Defesa Civil, no mês de julho choveu apenas um dia, sexta-feira (29) fechando o mês com e 6,3 milímetros de precipitação, 88% abaixo do esperado. Apesar de junho ter registrado índices mais próximos da média, cerca de 51,7mm, foi registrado um longo período sem chuvas volumosas, de 50 dias.
 
A baixa pluviométrica, ocorrida também nos meses anteriores, tem refletido no volume das represas, que estavam 15% abaixo do nível regular nesta segunda-feira (1º). A represa 1, uma das principais reservas de água bruta da cidade, está com 43% da capacidade, cerca de 72.730 metros cúbicos.
 
Há exatamente um mês, no primeiro dia de julho, o volume registrado no local era de 70%, que corresponde a 115.962,92 metros cúbicos de água. Portanto, houve o consumo de 43.232,9 metros cúbicos de água em 30 dias. A Lagoa Santa Cândida, que abastece toda região da Capela, também está com 63% da capacidade. Já o Rio Capivari, manancial principal de captação para o abastecimento da cidade, tem apresentado uma considerável redução da vazão. No mês de julho, a captação operou em média de 294m³/h, que corresponde a 73,5% da outorga.
 
Sem chuvas substanciais para recargas e com o alto consumo, o percentual de reserva em queda demonstra que o cenário hídrico vem se agravando, assim como em outros municípios abastecidos pela Bacia dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). 
 
Nesse panorama, para que não haja comprometimento no abastecimento, a Sanebavi instituiu o Decreto da Operação Estiagem, em vigor desde o último dia 8, que estabelece a adoção de medidas emergenciais para o enfrentamento da escassez. Todas as ações que caracterizam desperdício são passiveis de multa no valor de R$ 578,58.
 
Entre as medidas, está a proibição do uso da água tratada para finalidades que não sejam essenciais, como aguar gramados ou jardins, manter abertos ou ligados indevidamente torneiras, caixas d’água, reservatórios ou mangueiras que desperdicem água de forma contínua, assim como encher piscinas, lavar veículos, calçadas, ruas, varandas, pátios ou quintais.
 
A população pode contribuir com a fiscalização denunciando desperdícios nos canais de atendimento da Sanebavi, no SAC 0800 774 7123, pelo e-mail [email protected] ou pelo WhatsApp (19) 97120 7672, criado exclusivamente para denúncias de desperdício.
 
“Estamos com várias ações em andamento para aumentar a capacidade hídrica e garantir a oferta de água durante esse período de seca. Porém, a população tem um papel fundamental com a economia da água para que a cidade não tenha que enfrentar racionamento. É necessário pouparmos ao máximo os nossos recursos, utilizando de forma consciente. Ações simples como utilizar um balde em vez da mangueira na hora da limpeza, juntar bastante roupa para lavar de uma vez na máquina, reaproveitar a água sempre que possível, tomar banhos rápidos e manter as torneiras fechadas enquanto não estiver utilizando, são importantíssimas neste momento. Toda forma de desperdício deve ser evitada”, afirma o, superintendente da Sanebavi, Jaderson Spina.
 
Ações realizadas
Uma série de ações e obras para ampliar a oferta de água estão em andamento na cidade. Uma nova represa foi adquirida este ano, a primeira depois de 43 anos sem nenhum investimento em reservação de água bruta. Estudos de batimetria e sondagem estão sendo feitos para ampliar a capacidade da Represa 1. Dois novos reservatórios de água tratada serão construídos.
 
Obras de ampliação e modernização da captação do Rio Capivari estão sendo iniciadas para ampliar a capacidade de captação de água e de reservação no local. Também foram realizadas manutenção e reativação dos poços profundos da cidade e em breve será construída a adutora do Bom Jardim.
 
Foram realizadas ainda, obras de setorização, troca de hidrômetros com mais de cinco anos, contratação de empresa especializada para estudos de construção de novas represas e ampliação das existentes e revisão do Plano Diretor para a preservação de regiões hídricas produtoras de água, além da transposição do poço profundo do Distrito Industrial para ETA 1 para abastecer a população e o projeto da nova adutora do Rio Capivari, entre outras ações.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp