05/07/2022 às 09h36min - Atualizada em 05/07/2022 às 09h36min

Após batalhões adotarem o uso de câmeras, mortes em intervenções policiais despencam 80% em São Paulo

Número de lesões corporais também caiu. Redução chegou a 28%.

Redação
Portal UOL
As mortes resultantes de intervenções policiais caíram em 19 dos 131 batalhões da Polícia Militar de São Paulo. A queda, de 80%, é atribuída ao uso de câmeras instaladas nos uniformes dos policiais.
 
Segundo o Portal UOL, entre junho de 2021 e maio deste ano, os 19 batalhões registraram 41 mortes resultantes de intervenções policiais, contra 207 nos 12 meses anteriores ao início do programa Olho Vivo. O número de mortes corresponde a 82% da média anual de 226 assassinatos nos sete anos anteriores.
 
Além da queda no número de mortes, a quantidade de lesões corporais também caiu significativamente. Os dados revelam que 44 pessoas se machucaram em ações policiais nos 12 meses após a adoção das câmeras, 28% menos do que as 61 ocorrências registradas um ano antes.
 
Apesar da queda na letalidade policial, ao menos três pré-candidatos ao governo de São Paulo já afirmaram que pretendem restringir o uso das câmeras corporais no caso de serem eleitos no pleito de outubro.
 
“Márcio França (PSB) disse que as agentes mulheres ficam constrangidas para usar o banheiro, o que foi rebatido pelo governador Rodrigo Garcia (PSDB), segundo quem ‘a preservação íntima dos policiais já existe’. Tarcísio de Freitas (Republicanos), candidato de Jair Bolsonaro (PL), e Abraham Weintraub (PMB), ex-ministro da Educação, condicionaram o uso do equipamento ao controle absoluto do policial militar no registro das imagens”, destaca a reportagem.
 
A conselheira federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) por São Paulo, Silvia Virginia Silva de Souza, diz que a adoção das câmeras reduziu a violência policial e que a iniciativa vem ganhando defensores em todo o país.
 
“A redução de 80% em um ano demonstra que as forças de segurança podem atuar de outra forma na contenção da criminalidade”, disse. “A redução da violência com o uso das câmeras vai impactar em todo o Brasil, completou”.
 
Segundo ela, a tendência está se espalhando por outros estados do país. “Grupos de atuação, principalmente do movimento negro, vêm pressionando os legislativos locais para aprovarem leis com essa mesma finalidade”, ressaltou.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp