07/03/2022 às 09h06min - Atualizada em 07/03/2022 às 09h06min

Petróleo dispara e sobe 10% após anúncio de sanções sobre venda de óleo russo

Choque de preços pode arrasar a economia mundial, trazendo a perspectiva de mais inflação.

Redação
Os preços do petróleo dispararam mais de 10% em negociações agitadas nesta segunda-feira (7) com o risco de uma proibição dos EUA e da Europa ao produto russo e atrasos nas negociações iranianas desencadeando o que está se configurando como um grande choque estagflacionário para os mercados mundiais.
 
O euro ampliou sua queda e commodities de todos os tipos estavam em alta, já que o conflito Rússia-Ucrânia não mostrava sinais de esfriamento. A Rússia chama a campanha lançada em 24 de fevereiro de “operação militar especial”, dizendo que não tem planos de ocupar a Ucrânia.
 
O Brent foi cotado US$ 12,73 mais alto, a US$ 130,84, enquanto o petróleo dos EUA subiu US$ 9,92, para US$ 125,60.
 
O golpe potencial para o crescimento econômico global viu os futuros de ações do S&P 500 caírem 1,1%, enquanto os futuros do Nasdaq caíram 1,4%.
 
Tendo subido 21% na semana passada, o petróleo Brent foi ainda mais energizado pelo risco de uma proibição do petróleo russo pelos Estados Unidos e pela Europa. "Se o Ocidente cortar a maior parte das exportações de energia da Rússia, seria um grande choque para os mercados globais", disse o economista-chefe do BofA, Ethan Harris.
 
Ele estima que a perda dos 5 milhões de barris da Rússia pode fazer os preços do petróleo dobrarem para US$ 200 o barril e reduzir o crescimento econômico globalmente.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp