22/01/2022 às 21h30min - Atualizada em 22/01/2022 às 21h30min

São Paulo – SP inicia hoje comemoração de aniversário; veja programação

Todas as cinco macrorregiões da cidade recebem programações, com espetáculos, shows musicais e apresentações teatrais.

Redação
A cidade de São Paulo completa 468 anos na próxima semana e, para comemorar, preparou um programação especial de eventos começando neste sábado (22) e se estendendo até terça-feira (25) em centros culturais. A celebração marca também o início de uma programação de 100 dias do Centenário da Semana de Arte Moderna de 1922.
 
A programação do Aniversário de São Paulo apresenta os novos artistas que, da mesma forma com que os modernistas fizeram há 100 anos, rompem com o “status quo”.
 
Todas as cinco macrorregiões da cidade recebem programações: CCSP (Centro Cultural São Paulo), Centro; Casa de Cultura da Vila Guilherme, zona norte; Casa de Cultura Hip Hop Leste, zona leste; Casa de Cultura M'Boi Mirim, na zona sul; e Casa de Cultura do Butantã, na zona oeste.
 
De acordo com a prefeitura, o Projeto 22+100 traz uma série de atividades pontuais no período de 100 dias, contados a partir deste sábado, e terá encerramento no dia 1º de maio, Dia do Trabalhador. Entre os destaques, o ator Pascoal da Conceição interpreta Mário de Andrade na performance 22+100, inspirada em Oswald de Andrade, Mário de Andrade e Manuel Bandeira, que será realizada na próxima terça no Centro Cultural São Paulo, às 18h30.
 
No CCSP, abrindo a programação no sábado, a Cia. Parlapatões traz quatro palhaços para o espetáculo “Os MeQueTreFe”, com uma desconstrução da rotina cotidiana com muito humor. Em seguida, o grupo Trovadores Urbanos promove o Cortejo da Felicidade pelos espaços do CCSP. O espaço também recebe, nos dias 22, 23 e 25, a projeção mapeada “Memórias Insurgentes”, do Coletivo Coletores.
 
Como programação musical, o CCSP recebe, ainda, shows de Badsista, no dia 22, e Clube do Balanço convida Paula Lima, no dia 23. No dia 25, o Aniversário se encerra com o show da banda Metá Metá, no CCSP. A banda teve o seu mais recente álbum, MM3, indicado ao Grammy Latino 2017 de Melhor Álbum de Rock ou Música Alternativa em Língua Portuguesa.
 
“Nesses 468 anos, São Paulo foi, e tem sido, palco para acontecimentos históricos do Brasil e do mundo. Um desses movimentos foi a Semana de Arte Moderna de 1922. Com isso, nada mais justo do que escolher as festividades do aniversário da cidade para dar início a cem dias de comemoração ao centenário da Semana de 22”, explica Aline Torres, Secretária Municipal de Cultura.
 
Programação descentralizada
Em todas as regiões da cidade, artistas de destaque da periferia se apresentam em equipamentos da Secretaria Municipal de Cultura (SMC). Na zona leste, a Casa de Cultura Hip Hop Leste recebe shows do rapper niLL, consagrando o hip hop como uma vertente do novo modernismo. Na zona oeste, na Casa de Cultura do Butantã, acontecem shows das bandas Autorama e Statues on Fire.
 
Já na zona sul, a Casa de Cultura M’Boi Mirim recebe o Forró Pé-de-Serra do grupo Peixelétrico, às 19h deste sábado. Na zona norte, a programação da Casa de Cultura Vila Guilherme será divulgada em breve, no site e nas redes sociais da SMC.
 
22+100
A programação do Centenário de 22, que terá 100 dias de duração, conta com obras inéditas da nova edição do MAR (Museu de Arte de Rua). Novos endereços, em todos os cantos da cidade, recebem artes em diversos formatos, como graffiti, lambe-lambe e fotografia.
 
As imagens terão como tema o modernismo. Entre elas, estão 22 retratos em homenagem a 22 Modernistas, sendo releituras realizadas por artistas contemporâneos (índígenas, negros e brancos) em 22 empenas; além de intervenções com inspirações modernistas em praças na periferia e outras novas empenas na cidade.
 
São Paulo também ganha 100 esculturas temporárias, no formato de intervenção artística, homenageando personagens modernistas ou “novos modernistas”. Essas esculturas serão instaladas por toda a capital, especialmente na periferia, e trarão figuras emblemáticas como Mário de Andrade, Tarsila do Amaral, Anita Malfatti e Oswald de Andrade.
 
Em parcerias com as secretarias de cultura de outras cidades e estados, a SMC promove também as Semanas de Arte Moderna estaduais, com obras e atrações artísticas dos novos modernistas de outros estados, em três espaços culturais da SMC, revisitando o espírito de pesquisa de Mário de Andrade.
 
A Vila Itororó, localizada no bairro do Bixiga, recebe a Saudosa Maloca Modernista, uma grande roda de samba com artistas clássicos e representantes da nova geração, em diversas apresentações. O termo “maloca”, que designa uma cabana comunitária indígena, ressalta o próprio espírito antropofágico do projeto, que une elementos da cultura italiana com as raízes culturais indígena e africana que marcam a história paulistana.
 
Entre as outras atividades propostas, estão o final de semana no Parque Ibirapuera; a Semana de Arte Moderninha, com programação infantil; as Conversas com Modernistas nas Bibliotecas; e os Bailões Modernistas, com bailes que privilegiam a cultura negra e indígena, trazendo traços do afrofuturismo e do neoindigenismo.
 
O encerramento, no dia 1° de maio, deverá acontecer no Vale do Anhangabaú, com um show a ser anunciado em breve. Por conta da pandemia de Covid-19, essa programação pode sofrer alterações, de acordo com as recomendações da Secretaria Municipal de Saúde.
 
Theatro Municipal
O Theatro Municipal, palco da Semana de Arte Moderna de 1922, também recebe programação especial nesses 100 dias. Além da exposição Modernistas e Novos Modernistas, o espaço recebe a instalação artística Recostura, da artista Chris Tigra, que ficará na fachada principal do Theatro. Entre 10 e 17 de fevereiro, acontece uma semana de atividades com temática modernista, entre elas, apresentações temáticas do Coral Paulistano, Orquestra Experimental de Repertório, Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, show da Dona Onete e do Dj Ju Salty e estreia de novo espetáculo do Balé da Cidade.
 
Além disso, o Theatro Municipal promove a Expedição Modernista, junto ao Coletivo Jornal das Miudezas e Coletivo Teatro Dodecafônico, na qual os participantes caminham pelo centro da cidade fazendo paradas e realizando oficinas em três equipamentos culturais: Casa da Imagem, Biblioteca Mário de Andrade e Theatro Municipal.


Confira a programação completa neste fim de semana:

CENTRO
  • Sábado (22), no Centro Cultural de São Paulo 
Os MeQueTreFe (Cia. Parlapatões) [Livre], 16h: em Os Mequetrefe quatro palhaços que, não por acaso, se chamam 'Dias', vivem a jornada de um longo e divertido dia. Do despertar à hora de ir dormir, revelam como a desconstrução da lógica cotidiana pode abrir espaço para outras maneiras de encarar a vida. Vivendo situações bem comuns, esses cidadãos nada comuns provocam uma série de confusões tão hilárias quanto poéticas.
 
Trovadores Urbanos [Livre], 18h: Cortejo com estandartes, cantoria, uma linda caminhada musical pelo Centro Cultural, com o tema 'felicidade'.
 
Badsista [Livre], 19h: Badsista faz show exclusivo e inédito, acompanhada de White Prata, Venus Garland e Malka, com experimentações musicais estilo jam eletrônica, no repertório traz músicas de sua carreira além de algumas do álbum Gueto Elegance, seu primeiro álbum cheio, lançado no final de 2021.
- Domingo (23), no Centro Cultural de São Paulo
 
Circo Charanga (Cia La Mínima) [Livre], 16h: três palhaços erguem uma pequena lona no meio da rua e apresentam um espetáculo de variedades. Em meio a belos screamers, as tradicionais marchas circenses executadas pelas charangas, lançam desafios, apresentam reprises, números de habilidade e de música excêntrica, nos moldes dos circos clássicos. “Circo Charanga” é uma homenagem à palhaçaria de picadeiro e à tradição dos circos de lona.

Clube do Balanço convida Paula Lima [Livre], 18h: resgate e inovação com o melhor do samba-rock. O que era para durar apenas uma festa, se transformou, virou trabalho sério, fincou raízes, percorreu muita estrada – até no exterior – e se tornou uma referência no samba-rock, ditando tendência e levando alegria e boa música por duas décadas.
  • Terça-feira (25), no Centro Cultural de São Paulo
Metá Metá [Livre], 19h: desde 2008 em atividade, Metá Metá é um dos mais prestigiados grupos no recente cenário musical brasileiro, tanto pela crítica especializada, como pelo público. O trio formado por Kiko Dinucci, Juçara Marçal e Thiago França, já lançou os discos: Metá Metá, Metal Metal e MM3.
 
Performance 22+100 - Mário de Andrade [Livre], às 18h: Pascoal da Conceição Completa, em 2022, 50 anos de carreira na vida artística e interpreta Mário de Andrade na performance 22+100, inspirada em Oswald de Andrade, Mário de Andrade e Manuel Bandeira.
 
Zona leste
  • Domingo (23), no CC Hip Hop Leste 
Horário Nill [Livre]: Nill apresenta o esptaculo "Só os Clássicos" com músicas lançadas nos anos de 2016 até 2021, uma passagem pela discografia do artista trazendo para o palco a experiência ampliada da sonoridade apresentada nos discos. Em junção com a tradicional formação do HIP HOP (Dj e Mc) o artista aproveita esse nuance para mostrar as suas experiências sonoras que viajam do Vapor wave ao House sempre com a característica do mesmo.

Horário Brisa Flow [Livre]:  criada em Minas Gerais, Brisa de la Cordillera, recebeu influências da música e cultura dos povos andinos através dos seus pais artistas chilenos. Iniciou sua carreira no Hip Hop em Belo Horizonte frequentando batalhas de rap. 
 
Zona oeste 
  • Domingo (23),  no CC Butantã 
Horário Autoramas [Livre]: considerados pela Rough Trade britânica como a mais importante banda independente do Brasil, participaram dos maiores Festivais do mundo. Durante a pandemia a banda se mantém na ativa, com “lives” e produziu, além de vários “singles”, o mais novo álbum, o 9º da carreira – “ Autointitulado” , com lançamento previsto para janeiro de 2022.
 
Horário Statues on Fire [Livre]: formada em 2013 em Santo André, Statues on fire acumula na bagagem 3 discos lançados na Europa, Brasil e EUA e 5 tour européias com apresentações em grandes festivais além de diversos shows no Brasil, o que consolida a banda como uma das maiores bandas de punk e hardcore nacional. Durante o período de confinamento a banda pré-produziu o quarto álbum que será lançado mundialmente em 2023. Statues on Fire é formada pelos experientes Andre Alves (vocal e guitarra), Lalo Tonus (baixo), Alex Silva (bateria) e Regis Ferri (guitarra).
 
Zona Sul
  • Sábado (22), no CC M´Boi Mirim, às 19h
Horário Peixelétrico [Livre]: o grupo musical Peixelétrico surgiu em janeiro de 1999, na Prainha Branca, Guarujá. Com uma sonoridade centrada no Forró Pé-de-serra, com influência de MPB e REGGAE. Os integrantes são: Ricardo Trip, André Brito, Luiz Santos e Paulo Henrique Alves.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
;
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp