Veja como o Datafolha trata Lula melhor do que os demais políticos

O Datafolha registrou na quinta-feira (25), no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), uma pesquisa a ser divulgada na próxima quarta-feira (31). A informação está no site do tribunal.

 

O instituto traça diversos cenários com Lula na disputa do primeiro e segundo turnos.

 

No final do questionário, o Datafolha pergunta se o cidadão acha ou não que a Justiça foi muito rápida para julgar Lula e se a decisão de condená-lo a 12 anos de prisão foi justa ou injusta. É curioso que o Datafolha agregue esse tipo de questão a uma pesquisa eleitoral.

 

Na pesquisa há duas perguntas muito interessantes sobre Lula:

 

“Na sua opinião, o ex-presidente Lula:

  1. Sabia da corrupção em seu governo e deixou que ela ocorresse;
  2. Sabia da corrupção mas não poderia fazer nada para evitá-la;
  3. Ele não sabia da corrupção em seu governo?
  4. Não sabe”.

 

Vejam que não há a opção mais condizente com a realidade – ou seja:

“O ex-presidente Lula sabia da corrupção em seu governo e usufruiu dela”?

 

A segunda pergunta interessante:

“Pensando nos casos de corrupção envolvendo políticos brasileiros:

  1. Em sua opinião, a Justiça brasileira trata o ex-presidente Lula da mesma;
  2. Maneira que os demais políticos;
  3. Trata Lula melhor do que os demais políticos;
  4. Trata Lula pior do que os demais políticos?”

 

Em nenhum momento, o eleitor pesquisado é informado de que Lula não goza de foro privilegiado como a esmagadora maioria dos políticos implicados na Lava Jato – e, por isso, foi condenado rapidamente.

 

A conclusão é de que o Datafolha trata melhor Lula do que os demais políticos.

 

Fonte: Site O Antagonista.

O Datafolha registrou na quinta-feira (25), no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), uma pesquisa a ser divulgada na próxima quarta-feira (31). A informação está no site do tribunal.

 

O instituto traça diversos cenários com Lula na disputa do primeiro e segundo turnos.

 

No final do questionário, o Datafolha pergunta se o cidadão acha ou não que a Justiça foi muito rápida para julgar Lula e se a decisão de condená-lo a 12 anos de prisão foi justa ou injusta. É curioso que o Datafolha agregue esse tipo de questão a uma pesquisa eleitoral.

 

Na pesquisa há duas perguntas muito interessantes sobre Lula:

 

“Na sua opinião, o ex-presidente Lula:

  1. Sabia da corrupção em seu governo e deixou que ela ocorresse;
  2. Sabia da corrupção mas não poderia fazer nada para evitá-la;
  3. Ele não sabia da corrupção em seu governo?
  4. Não sabe”.

 

Vejam que não há a opção mais condizente com a realidade – ou seja:

“O ex-presidente Lula sabia da corrupção em seu governo e usufruiu dela”?

 

A segunda pergunta interessante:

“Pensando nos casos de corrupção envolvendo políticos brasileiros:

  1. Em sua opinião, a Justiça brasileira trata o ex-presidente Lula da mesma;
  2. Maneira que os demais políticos;
  3. Trata Lula melhor do que os demais políticos;
  4. Trata Lula pior do que os demais políticos?”

 

Em nenhum momento, o eleitor pesquisado é informado de que Lula não goza de foro privilegiado como a esmagadora maioria dos políticos implicados na Lava Jato – e, por isso, foi condenado rapidamente.

 

A conclusão é de que o Datafolha trata melhor Lula do que os demais políticos.

 

Fonte: Site O Antagonista.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]