TJ libera votação do projeto de Doria para privatizar Interlagos

Em decisão monocrática, o desembargador Augusto Francisco Mota Ferraz de Arruda, do Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo, suspendeu a decisão que impedia a tramitação do projeto de lei do prefeito João Agripino da Costa Doria Junior, João Doria (PSDB) que prevê a privatização do Autódromo de Interlagos, na zona sul da capital paulista. Agora, o texto pode seguir para a segunda, e definitiva, votação na Câmara Municipal.

 

O projeto havia sido suspenso após representação apresentada à Justiça pelo vereador Mario Covas Neto (PSDB), sob alegação de que o projeto não passou por todos os trâmites legislativos antes de ir para a primeira votação do plenário, ocorrida na semana passada. Mario Covas afirmou que o projeto de lei não passou por todas as comissões da Câmara que deveria.

 

Após recurso apresentado pela Procuradoria da Câmara Municipal, que rebateu as alegações de irregularidade, o desembargador liberou o texto, que agora pode voltar a tramitar.

 

“Ao contrário do quanto afirmado pelo impetrante (Mario Covas) na inicial e no pedido de reconsideração manejado contra decisão que indeferiu a liminar, o Projeto de Lei nº 705/2017 vem tendo regular tramitação na Câmara Municipal, tendo sido encaminhado à Comissão de Constituição de Justiça, ocasião em que designado o relator Vereador Claudinho de Souza (PSDB). O projeto foi pautado para exame por aquela Comissão, entretanto, a sessão foi cancelada pelo seu Presidente, ora impetrante”, escreveu o desembargador.

 

Ferraz de Arruda afirmou ainda que o caso se trata de uma diferença na interpretação do regimento interno da Câmara, não de violação às leis ou à Constituição.

 

A segunda votação do projeto de lei, que libera em definitivo a privatização, deve ocorrer ainda neste ano.

Em decisão monocrática, o desembargador Augusto Francisco Mota Ferraz de Arruda, do Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo, suspendeu a decisão que impedia a tramitação do projeto de lei do prefeito João Agripino da Costa Doria Junior, João Doria (PSDB) que prevê a privatização do Autódromo de Interlagos, na zona sul da capital paulista. Agora, o texto pode seguir para a segunda, e definitiva, votação na Câmara Municipal.

 

O projeto havia sido suspenso após representação apresentada à Justiça pelo vereador Mario Covas Neto (PSDB), sob alegação de que o projeto não passou por todos os trâmites legislativos antes de ir para a primeira votação do plenário, ocorrida na semana passada. Mario Covas afirmou que o projeto de lei não passou por todas as comissões da Câmara que deveria.

 

Após recurso apresentado pela Procuradoria da Câmara Municipal, que rebateu as alegações de irregularidade, o desembargador liberou o texto, que agora pode voltar a tramitar.

 

“Ao contrário do quanto afirmado pelo impetrante (Mario Covas) na inicial e no pedido de reconsideração manejado contra decisão que indeferiu a liminar, o Projeto de Lei nº 705/2017 vem tendo regular tramitação na Câmara Municipal, tendo sido encaminhado à Comissão de Constituição de Justiça, ocasião em que designado o relator Vereador Claudinho de Souza (PSDB). O projeto foi pautado para exame por aquela Comissão, entretanto, a sessão foi cancelada pelo seu Presidente, ora impetrante”, escreveu o desembargador.

 

Ferraz de Arruda afirmou ainda que o caso se trata de uma diferença na interpretação do regimento interno da Câmara, não de violação às leis ou à Constituição.

 

A segunda votação do projeto de lei, que libera em definitivo a privatização, deve ocorrer ainda neste ano.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]