Tarifa de ônibus em Jundiaí terá aumento a partir de segunda-feira

O preço da tarifa do transporte público de Jundiaí – SP será reajustado a partir de segunda-feira (8). A tarifa do bilhete único que custa R$ 3 passará para R$ 4, enquanto a passagem comprada com dinheiro terá aumento de R$ 3,80 para R$ 4,40.

 

De acordo com a prefeitura, que divulgou os reajustes na sexta-feira (5), a atualização dos preços ficou estabelecida após estudos com base na planilha de custos do sistema de transporte público, realizados pela Unidade de Gestão de Mobilidade e Transporte (UGMT) e apresentados a setores da sociedade.

 

As gratuidades para idosos acima de 65 anos e pessoas com deficiência estão mantidas, assim como a meia passagem para estudantes e a tarifa social em dois domingos por mês.

 

Desta forma, serão priorizadas ações como revitalização dos terminais, novos ônibus, câmeras de segurança e aplicativos para acompanhamento das linhas e o tempo gasto no deslocamento da viagem.

 

Segundo a prefeitura, o serviço de transporte público custa R$ 137.534.557,56 milhões por ano e o último reajuste na tarifa ocorreu em 2012.

 

Para compensar a manutenção do valor, em 2013, foi criado o complemento com verba pública (subsídio) pago pela prefeitura às empresas de transporte, que, desde então, aumentou seis vezes. Apenas em 2017, o subsídio consumiu R$ 25,2 milhões, valor recorde.

Com base nos estudos realizados, será possível manter o subsídio em R$ 113 milhões ao longo de quatro anos. Sem essa limitação, o valor a ser desembolsado seria de R$ 257 milhões.

 

Durante o ano de 2017, a tarifa se manteve inalterada para não impactar no orçamento das pessoas que dependem do serviço. Atualmente, o transporte público municipal atende 120 mil passageiros por dia.

O preço da tarifa do transporte público de Jundiaí – SP será reajustado a partir de segunda-feira (8). A tarifa do bilhete único que custa R$ 3 passará para R$ 4, enquanto a passagem comprada com dinheiro terá aumento de R$ 3,80 para R$ 4,40.

 

De acordo com a prefeitura, que divulgou os reajustes na sexta-feira (5), a atualização dos preços ficou estabelecida após estudos com base na planilha de custos do sistema de transporte público, realizados pela Unidade de Gestão de Mobilidade e Transporte (UGMT) e apresentados a setores da sociedade.

 

As gratuidades para idosos acima de 65 anos e pessoas com deficiência estão mantidas, assim como a meia passagem para estudantes e a tarifa social em dois domingos por mês.

 

Desta forma, serão priorizadas ações como revitalização dos terminais, novos ônibus, câmeras de segurança e aplicativos para acompanhamento das linhas e o tempo gasto no deslocamento da viagem.

 

Segundo a prefeitura, o serviço de transporte público custa R$ 137.534.557,56 milhões por ano e o último reajuste na tarifa ocorreu em 2012.

 

Para compensar a manutenção do valor, em 2013, foi criado o complemento com verba pública (subsídio) pago pela prefeitura às empresas de transporte, que, desde então, aumentou seis vezes. Apenas em 2017, o subsídio consumiu R$ 25,2 milhões, valor recorde.

Com base nos estudos realizados, será possível manter o subsídio em R$ 113 milhões ao longo de quatro anos. Sem essa limitação, o valor a ser desembolsado seria de R$ 257 milhões.

 

Durante o ano de 2017, a tarifa se manteve inalterada para não impactar no orçamento das pessoas que dependem do serviço. Atualmente, o transporte público municipal atende 120 mil passageiros por dia.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]