44 visualizações

REDE deve lançar Marina Silva como pré-candidata ao Planalto amanhã

A ex-senadora Maria Osmarina Marina Silva Vaz de Lima, Marina Silva (REDE) deverá ser lançada no sábado (2) pela Rede Sustentabilidade como pré-candidata à Presidência da República. O lançamento ocorrerá durante reunião do partido em um hotel na capital federal. O evento será realizado em meio às negociações de alguns deputados da sigla para deixar a legenda, que pode acabar perdendo metade de sua atual bancada na Câmara.

 

“Os dirigentes estaduais vão apresentar pedido para que possam usar o nome dela como pré-candidata a presidente da República e ela vai aceitar. Ela não pode chegar à convenção como candidata de si mesma”, explica o deputado Miro Teixeira (REDE). Se confirmada a candidatura no primeiro semestre de 2018, será a terceira vez que a ex-senadora disputa o cargo – ela disputou em 2010, pelo PV, e 2014, pelo PSB.

 

Miro afirma que a REDE já começou a se movimentar em busca de apoio de outros partidos para o pleito do próximo ano. “Tenho conversado com PPS e PSB para apoiarem a Marina”, disse o parlamentar fluminense. Ele contou que intermediou reunião na quarta-feira (29) em Brasília – DF, da ex-senadora com o presidente nacional do Partido Popular Socialista (PPS), o deputado Roberto João Pereira Freire, Roberto Freire, para “restabelecer” o canal de interlocução entre os dois.

 

Marina, no entanto, terá de atuar para conter possível debandada dos deputados da REDE. Segundo informações, pelo menos dois dos quatro deputados negociam migração para outro partido: Alessandro Lucciola Molon e Aliel Machado Bark. Os dois conversam com o Partido Socialista Brasileiro (PSB), sigla que ainda não decidiu qual caminho deve seguir nas eleições do próximo ano.

A ex-senadora Maria Osmarina Marina Silva Vaz de Lima, Marina Silva (REDE) deverá ser lançada no sábado (2) pela Rede Sustentabilidade como pré-candidata à Presidência da República. O lançamento ocorrerá durante reunião do partido em um hotel na capital federal. O evento será realizado em meio às negociações de alguns deputados da sigla para deixar a legenda, que pode acabar perdendo metade de sua atual bancada na Câmara.

 

“Os dirigentes estaduais vão apresentar pedido para que possam usar o nome dela como pré-candidata a presidente da República e ela vai aceitar. Ela não pode chegar à convenção como candidata de si mesma”, explica o deputado Miro Teixeira (REDE). Se confirmada a candidatura no primeiro semestre de 2018, será a terceira vez que a ex-senadora disputa o cargo – ela disputou em 2010, pelo PV, e 2014, pelo PSB.

 

Miro afirma que a REDE já começou a se movimentar em busca de apoio de outros partidos para o pleito do próximo ano. “Tenho conversado com PPS e PSB para apoiarem a Marina”, disse o parlamentar fluminense. Ele contou que intermediou reunião na quarta-feira (29) em Brasília – DF, da ex-senadora com o presidente nacional do Partido Popular Socialista (PPS), o deputado Roberto João Pereira Freire, Roberto Freire, para “restabelecer” o canal de interlocução entre os dois.

 

Marina, no entanto, terá de atuar para conter possível debandada dos deputados da REDE. Segundo informações, pelo menos dois dos quatro deputados negociam migração para outro partido: Alessandro Lucciola Molon e Aliel Machado Bark. Os dois conversam com o Partido Socialista Brasileiro (PSB), sigla que ainda não decidiu qual caminho deve seguir nas eleições do próximo ano.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]