45 visualizações

Pesquisa: brasileiro tem forte tendência a apoiar medidas autoritárias

Uma pesquisa encomendada ao instituto Datafolha indicou que os brasileiros têm tendência a apoiar medidas autoritárias. O estudo divulgado na sexta-feira (6) no jornal Folha de S. Paulo revela que, numa escala de zero a dez, a sociedade brasileira atinge o índice de 8,1 na propensão a endossar governos autoritaristas.

 

Como cita a reportagem, a tendência é reforçada pelas ameaças relacionadas à segurança pública. Segundo a pesquisa, 50 milhões de adultos declaram ter conhecido ao menos uma pessoa que foi assassinada. Sendo que o país registra cerca de 60 mil mortes intencionais por ano.

 

Denominado “Medo da Violência e Autoritarismo no Brasil”, o levantamento foi realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), entidade sem fins lucrativos.

 

Quanto mais perto o país fica de eleições, num contexto político e social instável, em tese propício a aventuras populistas e autoritárias, mais estas constatações são relevantes.

 

“Estamos sob ataque de grupos que professam sua fé na violência como forma de governar e de, paradoxalmente, pacificar a sociedade, em uma espécie de vendeta moral e política que parece cada vez mais ganhar adeptos”, disse Renato Sérgio de Lima, diretor-presidente do FBSP, ao jornal.

 

Um exemplo disso é o nome do deputado Jair Messias Bolsonaro aparecer com 15 a 19% das intenções de votos nos cenários propostos em pesquisa do Datafolha divulgada no último sábado (30).

Uma pesquisa encomendada ao instituto Datafolha indicou que os brasileiros têm tendência a apoiar medidas autoritárias. O estudo divulgado na sexta-feira (6) no jornal Folha de S. Paulo revela que, numa escala de zero a dez, a sociedade brasileira atinge o índice de 8,1 na propensão a endossar governos autoritaristas.

 

Como cita a reportagem, a tendência é reforçada pelas ameaças relacionadas à segurança pública. Segundo a pesquisa, 50 milhões de adultos declaram ter conhecido ao menos uma pessoa que foi assassinada. Sendo que o país registra cerca de 60 mil mortes intencionais por ano.

 

Denominado “Medo da Violência e Autoritarismo no Brasil”, o levantamento foi realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), entidade sem fins lucrativos.

 

Quanto mais perto o país fica de eleições, num contexto político e social instável, em tese propício a aventuras populistas e autoritárias, mais estas constatações são relevantes.

 

“Estamos sob ataque de grupos que professam sua fé na violência como forma de governar e de, paradoxalmente, pacificar a sociedade, em uma espécie de vendeta moral e política que parece cada vez mais ganhar adeptos”, disse Renato Sérgio de Lima, diretor-presidente do FBSP, ao jornal.

 

Um exemplo disso é o nome do deputado Jair Messias Bolsonaro aparecer com 15 a 19% das intenções de votos nos cenários propostos em pesquisa do Datafolha divulgada no último sábado (30).

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]