26 visualizações

Partido deve exonerar Mugabe e zimbabuanos comemoram esperada queda do presidente

O partido no poder do Zimbábue irá demitir o presidente Robert Gabriel Mugabe no domingo (19) e reintegrará o vice-presidente destituído Emmerson Dambudzo Mnangagwa, de acordo com duas fontes do partido, com multidões comemorando a esperada queda.

 

O governo de 37 anos de Mugabe chegou ao fim quando o Exército assumiu o controle do país na quarta-feira (15), confinando-o à sua residência e dizendo que queria alvejar os “criminosos” ao seu redor.

 

A televisão estatal informou que Mugabe encontrará comandantes militares no domingo, citando o sacerdote católico Fidelis Mukonori, que têm mediado as negociações com o presidente.

 

Mas centenas de milhares de pessoas não viram necessidade de um sinal formal do fim da era Mugabe ao inundarem as ruas de Harare no sábado (18), cantando, dançando e abraçando soldados em clima de comemoração.

 

Outros marcharam em direção à sua luxuosa residência “Blue Roof”, mas foram afastados por soldados.

 

Sob prisão domiciliar em seu complexo, o presidente de 93 anos viu evaporar em menos de três dias o apoio de seu partido, dos serviços de segurança e do povo.

 

De acordo com as fontes, uma reunião do comitê central do partido Zanu-PF às 10h30 de domingo (06h30 no horário de Brasília) também demitirá a sucessora preferida de Mugabe, sua esposa Grace, do seu papel como chefe da Liga Feminina do Zanu-PF.

 

Fonte: Agência Reuters.

O partido no poder do Zimbábue irá demitir o presidente Robert Gabriel Mugabe no domingo (19) e reintegrará o vice-presidente destituído Emmerson Dambudzo Mnangagwa, de acordo com duas fontes do partido, com multidões comemorando a esperada queda.

 

O governo de 37 anos de Mugabe chegou ao fim quando o Exército assumiu o controle do país na quarta-feira (15), confinando-o à sua residência e dizendo que queria alvejar os “criminosos” ao seu redor.

 

A televisão estatal informou que Mugabe encontrará comandantes militares no domingo, citando o sacerdote católico Fidelis Mukonori, que têm mediado as negociações com o presidente.

 

Mas centenas de milhares de pessoas não viram necessidade de um sinal formal do fim da era Mugabe ao inundarem as ruas de Harare no sábado (18), cantando, dançando e abraçando soldados em clima de comemoração.

 

Outros marcharam em direção à sua luxuosa residência “Blue Roof”, mas foram afastados por soldados.

 

Sob prisão domiciliar em seu complexo, o presidente de 93 anos viu evaporar em menos de três dias o apoio de seu partido, dos serviços de segurança e do povo.

 

De acordo com as fontes, uma reunião do comitê central do partido Zanu-PF às 10h30 de domingo (06h30 no horário de Brasília) também demitirá a sucessora preferida de Mugabe, sua esposa Grace, do seu papel como chefe da Liga Feminina do Zanu-PF.

 

Fonte: Agência Reuters.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]