Operação desarticula organização criminosa que fraudava o Enem

A Polícia Federal (PF) deflagrou na quarta-feira (8) a Operação Adinamia, para desarticular uma organização criminosa especializada em fraudar concursos públicos e processos seletivos para ingresso no ensino superior, por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016/2017, no Ceará e em outros Estados da Federação.

 

“As formas da fraude consistiam na violação antecipada de lacres para acesso às provas do Enem; e concursos e/ou utilização de candidato piloto e de ponto eletrônico, com a transmissão dos gabaritos. O curso de medicina é o principal alvo das fraudes e também o mais caro; sendo pago em torno de R$ 90 mil por vaga, sendo metade do valor pago antes do certame e metade depois de garantida a vaga”, diz a PF em nota.

 

Cerca de 90 policiais federais cumpriram 36 mandados, sendo 21 de busca e apreensão; quatro de prisão preventiva e 11 de condução coercitiva, nas cidades de Fortaleza, Juazeiro, Barbalha, Mauriti, Abaiara e Lavras da Mangabeira; no Ceará; São José de Piranhas e Cajazeiras, na Paraíba; e em Teresina, no Piauí.

 

Segundo a PF, o nome da operação, Adinamia, é uma referência à “fraqueza moral daqueles; que fraudulentamente tentam burlar a concorrência de concursos públicos; para cargos públicos e processos seletivos para ingresso em cursos superiores por meio do Enem”.

A Polícia Federal (PF) deflagrou na quarta-feira (8) a Operação Adinamia, para desarticular uma organização criminosa especializada em fraudar concursos públicos e processos seletivos para ingresso no ensino superior, por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016/2017, no Ceará e em outros Estados da Federação.

 

“As formas da fraude consistiam na violação antecipada de lacres para acesso às provas do Enem; e concursos e/ou utilização de candidato piloto e de ponto eletrônico, com a transmissão dos gabaritos. O curso de medicina é o principal alvo das fraudes e também o mais caro; sendo pago em torno de R$ 90 mil por vaga, sendo metade do valor pago antes do certame e metade depois de garantida a vaga”, diz a PF em nota.

 

Cerca de 90 policiais federais cumpriram 36 mandados, sendo 21 de busca e apreensão; quatro de prisão preventiva e 11 de condução coercitiva, nas cidades de Fortaleza, Juazeiro, Barbalha, Mauriti, Abaiara e Lavras da Mangabeira; no Ceará; São José de Piranhas e Cajazeiras, na Paraíba; e em Teresina, no Piauí.

 

Segundo a PF, o nome da operação, Adinamia, é uma referência à “fraqueza moral daqueles; que fraudulentamente tentam burlar a concorrência de concursos públicos; para cargos públicos e processos seletivos para ingresso em cursos superiores por meio do Enem”.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]