30 visualizações

MPE apura se coronéis da PM de São Paulo desviaram R$ 200 milhões em licitações de compras

Ministério Público Estadual (MPE) de São Paulo abriu inquérito para apurar a suspeita de que 18 coronéis e um político, que também foi oficial da Polícia Militar (PM), possam ter desviado até R$ 200 milhões dos cofres públicos da corporação. Inicialmente era investigado um desvio de R$ 7 milhões. Segundo nota da Promotoria, o esquema fraudulento envolveria oficiais militares e empresas. O dinheiro viria da negociação de compras de produtos por meio de licitações.

 

De acordo com o MPE, a suposta ocorrência de irregularidades em compras realizadas pela PM entre os anos de 2005 e 2012, noticiada recentemente por veículo de imprensa, levou a Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da Capital a instaurar inquérito para apurar os fatos. O procedimento foi aberto na quinta-feira (16) pelo promotor de Justiça Nelson Luís Sampaio de Andrade.

 

A Promotoria informou que a reportagem cita um coronel da Polícia Militar, levanta suspeita de que 18 outros coronéis e um deputado estadual, que foi oficial, receberam recursos milionários desviados da corporação, num esquema que envolveria ainda diversas empresas. Ao todo seriam 20 pessoas e 53 empresas investigadas.

 

A nota do MPE não informa o nome do oficial delator, mas ele seria o tenente-coronel José Afonso Adriano Filho, que foi preso em março pela Corregedoria da PM por suspeita de desviar R$ 7 milhões.

 

O policial citado como fonte na matéria já é réu em ação por improbidade administrativa proposta pela 5ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da Capital, em razão de fraudes semelhantes em procedimentos licitatórios em conluio com uma empresa.

 

Uma das diligências determinadas pela Promotoria no inquérito foi o envio de ofício ao Comando Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo solicitando, no prazo de 20 dias, o encaminhamento de cópia do prontuário de 19 integrantes da corporação, especificando as funções exercidas por eles no período entre 2005 e 2012.

Ministério Público Estadual (MPE) de São Paulo abriu inquérito para apurar a suspeita de que 18 coronéis e um político, que também foi oficial da Polícia Militar (PM), possam ter desviado até R$ 200 milhões dos cofres públicos da corporação. Inicialmente era investigado um desvio de R$ 7 milhões. Segundo nota da Promotoria, o esquema fraudulento envolveria oficiais militares e empresas. O dinheiro viria da negociação de compras de produtos por meio de licitações.

 

De acordo com o MPE, a suposta ocorrência de irregularidades em compras realizadas pela PM entre os anos de 2005 e 2012, noticiada recentemente por veículo de imprensa, levou a Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da Capital a instaurar inquérito para apurar os fatos. O procedimento foi aberto na quinta-feira (16) pelo promotor de Justiça Nelson Luís Sampaio de Andrade.

 

A Promotoria informou que a reportagem cita um coronel da Polícia Militar, levanta suspeita de que 18 outros coronéis e um deputado estadual, que foi oficial, receberam recursos milionários desviados da corporação, num esquema que envolveria ainda diversas empresas. Ao todo seriam 20 pessoas e 53 empresas investigadas.

 

A nota do MPE não informa o nome do oficial delator, mas ele seria o tenente-coronel José Afonso Adriano Filho, que foi preso em março pela Corregedoria da PM por suspeita de desviar R$ 7 milhões.

 

O policial citado como fonte na matéria já é réu em ação por improbidade administrativa proposta pela 5ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da Capital, em razão de fraudes semelhantes em procedimentos licitatórios em conluio com uma empresa.

 

Uma das diligências determinadas pela Promotoria no inquérito foi o envio de ofício ao Comando Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo solicitando, no prazo de 20 dias, o encaminhamento de cópia do prontuário de 19 integrantes da corporação, especificando as funções exercidas por eles no período entre 2005 e 2012.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]