45 visualizações

Michel Temer recebe presidente da Bolívia, Evo Morales, no Planalto

Depois de dois adiamentos por complicações de saúde, o presidente Michel Miguel Elias Temer Lulia, Michel Temer (PMDB) recebeu na manhã da terça-feira (5) o presidente da Bolívia, Juan Evo Morales Ayma, no Palácio do Planalto e oferece à comitiva boliviana um almoço no Itamaraty. Temer e Evo Morales possuem uma agenda bilateral de negócios entre os dois países e estavam reunidos por volta das 12h em uma sala do Planalto discutindo os termos.

 

Durante o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Vana Rousseff (PT), Morales acusou Temer de promover um golpe “judicial e parlamentar” e retirou o embaixador do País, um gesto diplomático de repúdio. A Bolívia foi um dos países latino-americanos que não reconheceu o afastamento de Dilma.

 

Agora, Evo, que comanda a Bolívia desde 2006, se prepara para tentar concorrer ao quarto mandato consecutivo, o que não era permitido pela constituição, mas foi autorizado pelo Tribunal Constitucional boliviano, sob protestos da oposição. Ele poderá ficar quase duas décadas no poder.

 

Morales foi recebido pelo presidente e por uma delegação de ministros, entre eles os tucanos Aloysio Nunes Ferreira Filho (Relações Exteriores) e Antônio José Imbassahy da Silva (Secretaria de Governo). Integraram a comitiva brasileira, entre outros, os ministros: Eliseu Lemos Padilha (Casa Civil), Torquato Lorena Jardim (Justiça), Sérgio Westphalen Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional), Maurício Quintella Malta Lessa (Transportes), Fernando Bezerra de Sousa Coelho (Minas e Energia).

 

Antes do encontro com Temer, Evo se reuniu com quatro governadores de Estados da região próxima à fronteira com a Bolívia: Sebastião Afonso Viana Macedo Neves, Tião Viana (PT) do Acre, Confúcio Aires Moura (PMDB) de Rondônia, José Pedro Gonçalves Taques, Pedro Taques (PSDB) de Mato Grosso e Reinaldo Azambuja Silva (PMDB) do Mato Grosso do Sul. Na reunião, eles discutiram integração energética (venda de gás e energia e construção de hidrelétricas e termoelétricas) e a instalação de um porto fronteiriço na cidade boliviana de Puerto Ustares, onde o grupo se encontrará novamente no dia 30 de Janeiro de 2018. Também foram acertadas propostas comerciais e de transporte.

Depois de dois adiamentos por complicações de saúde, o presidente Michel Miguel Elias Temer Lulia, Michel Temer (PMDB) recebeu na manhã da terça-feira (5) o presidente da Bolívia, Juan Evo Morales Ayma, no Palácio do Planalto e oferece à comitiva boliviana um almoço no Itamaraty. Temer e Evo Morales possuem uma agenda bilateral de negócios entre os dois países e estavam reunidos por volta das 12h em uma sala do Planalto discutindo os termos.

 

Durante o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Vana Rousseff (PT), Morales acusou Temer de promover um golpe “judicial e parlamentar” e retirou o embaixador do País, um gesto diplomático de repúdio. A Bolívia foi um dos países latino-americanos que não reconheceu o afastamento de Dilma.

 

Agora, Evo, que comanda a Bolívia desde 2006, se prepara para tentar concorrer ao quarto mandato consecutivo, o que não era permitido pela constituição, mas foi autorizado pelo Tribunal Constitucional boliviano, sob protestos da oposição. Ele poderá ficar quase duas décadas no poder.

 

Morales foi recebido pelo presidente e por uma delegação de ministros, entre eles os tucanos Aloysio Nunes Ferreira Filho (Relações Exteriores) e Antônio José Imbassahy da Silva (Secretaria de Governo). Integraram a comitiva brasileira, entre outros, os ministros: Eliseu Lemos Padilha (Casa Civil), Torquato Lorena Jardim (Justiça), Sérgio Westphalen Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional), Maurício Quintella Malta Lessa (Transportes), Fernando Bezerra de Sousa Coelho (Minas e Energia).

 

Antes do encontro com Temer, Evo se reuniu com quatro governadores de Estados da região próxima à fronteira com a Bolívia: Sebastião Afonso Viana Macedo Neves, Tião Viana (PT) do Acre, Confúcio Aires Moura (PMDB) de Rondônia, José Pedro Gonçalves Taques, Pedro Taques (PSDB) de Mato Grosso e Reinaldo Azambuja Silva (PMDB) do Mato Grosso do Sul. Na reunião, eles discutiram integração energética (venda de gás e energia e construção de hidrelétricas e termoelétricas) e a instalação de um porto fronteiriço na cidade boliviana de Puerto Ustares, onde o grupo se encontrará novamente no dia 30 de Janeiro de 2018. Também foram acertadas propostas comerciais e de transporte.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]