INSS cancelou 213.873 auxílios-doença no país e 48.963 no Estado de São Paulo

De Setembro de 2016 até 22 de Novembro deste ano, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) cancelou 88,3% dos auxílios-doença que passaram pela revisão conhecida como pente-fino. Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social, foram realizadas 242.167 perícias, e 213.873 benefícios foram cancelados.

 

Entre os auxílios que deixaram de ser pagos, 193.569 acabaram porque os peritos entenderam que não havia mais direito ao benefício, e 20.304 foram cancelados pela ausência dos convocados no dia da perícia.

 

Outros 39.406 auxílios foram convertidos em aposentadorias por invalidez, 2.066 em auxílios-acidente, 1.272 em aposentadoria por invalidez com acréscimo de 25% no valor do benefício (para quem comprova que precisa de acompanhante) e 5.854 pessoas foram encaminhadas para reabilitação profissional.

 

Ao todo, 530.191 auxílios-doença devem revisados até dezembro do ano que vem, e 1 milhão de aposentadorias por invalidez passarão pelo pente-fino. A economia anual estimada até agora com os cancelamentos é de R$ 3 bilhões.

 

No Estado de São Paulo, foram realizadas 56.884 perícias com 48.963 auxílios cancelados, segundo o Ministério do Desenvolvimento Social.

 

A ausência de convocados levou ao cancelamento de 3.298 benefícios. Além disso, 9.542 benefícios foram convertidos em aposentadorias por invalidez, 373 em auxílios-acidente, 316 em aposentadoria por invalidez com acréscimo de 25% e 988 pessoas foram encaminhadas para reabilitação profissional.

 

No Estado, 91.578 auxílios-doença e 227.506 aposentadorias por invalidez serão revisados. A economia anual estimada é de R$ 688,9 milhões.

De Setembro de 2016 até 22 de Novembro deste ano, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) cancelou 88,3% dos auxílios-doença que passaram pela revisão conhecida como pente-fino. Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social, foram realizadas 242.167 perícias, e 213.873 benefícios foram cancelados.

 

Entre os auxílios que deixaram de ser pagos, 193.569 acabaram porque os peritos entenderam que não havia mais direito ao benefício, e 20.304 foram cancelados pela ausência dos convocados no dia da perícia.

 

Outros 39.406 auxílios foram convertidos em aposentadorias por invalidez, 2.066 em auxílios-acidente, 1.272 em aposentadoria por invalidez com acréscimo de 25% no valor do benefício (para quem comprova que precisa de acompanhante) e 5.854 pessoas foram encaminhadas para reabilitação profissional.

 

Ao todo, 530.191 auxílios-doença devem revisados até dezembro do ano que vem, e 1 milhão de aposentadorias por invalidez passarão pelo pente-fino. A economia anual estimada até agora com os cancelamentos é de R$ 3 bilhões.

 

No Estado de São Paulo, foram realizadas 56.884 perícias com 48.963 auxílios cancelados, segundo o Ministério do Desenvolvimento Social.

 

A ausência de convocados levou ao cancelamento de 3.298 benefícios. Além disso, 9.542 benefícios foram convertidos em aposentadorias por invalidez, 373 em auxílios-acidente, 316 em aposentadoria por invalidez com acréscimo de 25% e 988 pessoas foram encaminhadas para reabilitação profissional.

 

No Estado, 91.578 auxílios-doença e 227.506 aposentadorias por invalidez serão revisados. A economia anual estimada é de R$ 688,9 milhões.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]