INSS aceita recurso e Dilma receberá R$ 5.200 de aposentadoria

O Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) acolheu parcialmente um recurso em que a ex-presidente Dilma Vana Rousseff (PT) pedia a reconsideração de seu tempo de contribuição previdenciária. O órgão reconheceu os 23 anos em que ela ficou afastada da Fundação de Economia e Estatística Siegfried Emanuel Heuser, do Rio Grande do Sul, por perseguição política.

 

Num processo administrativo interno, de acordo com a coluna Radar da revista Veja na terça-feira (17), a petista foi desligada da instituição em abril de 1977, com o selo de comunista, na época em que o Brasil vivia a ditadura militar e ela foi presa e torturada.

 

Ainda segundo a coluna, Dilma receberá por mês 5.200 reais de aposentadoria.

O Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) acolheu parcialmente um recurso em que a ex-presidente Dilma Vana Rousseff (PT) pedia a reconsideração de seu tempo de contribuição previdenciária. O órgão reconheceu os 23 anos em que ela ficou afastada da Fundação de Economia e Estatística Siegfried Emanuel Heuser, do Rio Grande do Sul, por perseguição política.

 

Num processo administrativo interno, de acordo com a coluna Radar da revista Veja na terça-feira (17), a petista foi desligada da instituição em abril de 1977, com o selo de comunista, na época em que o Brasil vivia a ditadura militar e ela foi presa e torturada.

 

Ainda segundo a coluna, Dilma receberá por mês 5.200 reais de aposentadoria.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]