63 visualizações

Idosos são as principais vítimas de atropelamentos no Estado de São Paulo

Infosiga SP mostra que um em cada três óbitos de pedestres envolve pessoas com mais de 60 anos de idade; a maioria dos casos ocorre em vias municipais. Mortes por acidente de trânsito registraram aumento de 5,5% em setembro.

 

Os novos números divulgados pelo Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, programa do Governo de São Paulo que visa reduzir à metade o número de óbitos no Estado até 2020, mostram que os idosos são as principais vítimas de atropelamentos. Um terço dos casos registrados em 2017 envolve pessoas com mais de 60 anos de idade. Dados do Infosiga SP também apontam aumento de 5,5% dos óbitos no trânsito no Estado. No ano, a redução é de 2,3%, equivalente a 95 fatalidades a menos.

 

“Entre os diversos grupos que são alvos de ações de educação e fiscalização, os idosos recebem especial atenção”, explica Silvia Lisboa, coordenadora do Movimento Paulista. “Entendemos que a mobilidade dessas pessoas é diferente das demais e recomendamos aos municípios a adaptação necessária para atendê-los. O aumento do tempo semafórico e campanhas de conscientização específicas são algumas das soluções”, exemplifica.

 

Na comparação com 2016, as fatalidades no trânsito envolvendo idosos apresentam queda de 9,1%, passando de 801 para 728 casos (73 óbitos a menos). No entanto, os dados do Infosiga SP revelam situações específicas em que esse grupo está mais sujeito a acidentes. Os idosos correspondem a 14% da população do Estado e 17,2% das vítimas de acidentes.

 

Em 2017, 728 pessoas com mais de 60 anos perderam a vida no trânsito. Das 1.193 fatalidades com pedestres, 399 envolveram idosos, o que equivale a 33,4% dos casos no Estado. A maioria das ocorrências acontece em vias municipais (58,2%). Também chama a atenção a proporção de vítimas entre ciclistas. Uma em cada quatro fatalidades com bicicletas (24,8%) envolve idosos.

 

“A bicicleta é um meio de transporte difundido entre a população com mais idade, apesar dos riscos. Por isso, incentivamos a direção responsável dos demais atores do trânsito, como motoristas e motociclistas. Respeitar o próximo é uma questão de cidadania”, defende Silvia Lisboa.

 

Dados do Estado

De acordo com o Infosiga SP, o Estado de São Paulo registrou 472 fatalidades no trânsito em setembro, aumento de 5,5% na comparação com o mesmo período de 2016 (446 óbitos). No acumulado do ano, a redução é de 2,3%, com 4.218 fatalidades em 2017 contra 4.313 no ano passado.

 

Houve redução também no número de acidentes com vítimas, que incluem ocorrências sem fatalidades. Em setembro deste ano, foram registradas 14.787 ocorrências contra 16.268 no ano passado, o que equivale a 1.481 acidentes a menos (-9,1%). No acumulado do ano, a redução é de 6,3%, com 134.946 casos entre janeiro e setembro de 2017 contra 144.084 nos primeiros 9 meses de 2016.

 

Em setembro, acidentes com motocicletas resultaram em 140 fatalidades, redução de 6% (151 no ano passado). Ocorrências com pedestres registraram alta de 21,9%, com 139 casos (114 em 2016), seguidos por automóveis (116 casos contra 96 no ano passado, aumento de 20,8%) e bicicletas (33 contra 25 em 2016 aumento de 32%).

 

Jovens com idade entre 18 e 29 anos correspondem a 23,9% das vítimas (113 ocorrências), e os homens representam 80,1% dos casos. Mais da metade  dos acidentes fatais no mês aconteceram entre 18h e 06h (54,4%), e os finais de semana concentram 49,6% das ocorrências.

 

Sobre o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito

Programa do Governo do Estado de São Paulo tem como principal objetivo reduzir pela metade os óbitos no trânsito no Estado até 2020. Inspirado na “Década de Ação pela Segurança no Trânsito”, estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para o período de 2011 a 2020, o comitê gestor do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito é coordenado pela Secretaria de Governo e composto por mais nove secretarias de Estado: Casa Civil, Segurança Pública, Logística e Transportes, Saúde, Direitos da Pessoa com Deficiência, Educação, Transportes Metropolitanos, Planejamento e Gestão, Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação.  As secretarias são responsáveis por construir um conjunto de políticas públicas para redução de vítimas de acidentes de trânsito no Estado.

 

O Movimento Paulista de Segurança no Trânsito envolve também a sociedade civil com o apoio de empresas – Abraciclo, Ambev, Arteris, Banco Itaú, CNseg, ProSimulador e Raízen – e do Centro de Liderança Pública (CLP).

Infosiga SP mostra que um em cada três óbitos de pedestres envolve pessoas com mais de 60 anos de idade; a maioria dos casos ocorre em vias municipais. Mortes por acidente de trânsito registraram aumento de 5,5% em setembro.

 

Os novos números divulgados pelo Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, programa do Governo de São Paulo que visa reduzir à metade o número de óbitos no Estado até 2020, mostram que os idosos são as principais vítimas de atropelamentos. Um terço dos casos registrados em 2017 envolve pessoas com mais de 60 anos de idade. Dados do Infosiga SP também apontam aumento de 5,5% dos óbitos no trânsito no Estado. No ano, a redução é de 2,3%, equivalente a 95 fatalidades a menos.

 

“Entre os diversos grupos que são alvos de ações de educação e fiscalização, os idosos recebem especial atenção”, explica Silvia Lisboa, coordenadora do Movimento Paulista. “Entendemos que a mobilidade dessas pessoas é diferente das demais e recomendamos aos municípios a adaptação necessária para atendê-los. O aumento do tempo semafórico e campanhas de conscientização específicas são algumas das soluções”, exemplifica.

 

Na comparação com 2016, as fatalidades no trânsito envolvendo idosos apresentam queda de 9,1%, passando de 801 para 728 casos (73 óbitos a menos). No entanto, os dados do Infosiga SP revelam situações específicas em que esse grupo está mais sujeito a acidentes. Os idosos correspondem a 14% da população do Estado e 17,2% das vítimas de acidentes.

 

Em 2017, 728 pessoas com mais de 60 anos perderam a vida no trânsito. Das 1.193 fatalidades com pedestres, 399 envolveram idosos, o que equivale a 33,4% dos casos no Estado. A maioria das ocorrências acontece em vias municipais (58,2%). Também chama a atenção a proporção de vítimas entre ciclistas. Uma em cada quatro fatalidades com bicicletas (24,8%) envolve idosos.

 

“A bicicleta é um meio de transporte difundido entre a população com mais idade, apesar dos riscos. Por isso, incentivamos a direção responsável dos demais atores do trânsito, como motoristas e motociclistas. Respeitar o próximo é uma questão de cidadania”, defende Silvia Lisboa.

 

Dados do Estado

De acordo com o Infosiga SP, o Estado de São Paulo registrou 472 fatalidades no trânsito em setembro, aumento de 5,5% na comparação com o mesmo período de 2016 (446 óbitos). No acumulado do ano, a redução é de 2,3%, com 4.218 fatalidades em 2017 contra 4.313 no ano passado.

 

Houve redução também no número de acidentes com vítimas, que incluem ocorrências sem fatalidades. Em setembro deste ano, foram registradas 14.787 ocorrências contra 16.268 no ano passado, o que equivale a 1.481 acidentes a menos (-9,1%). No acumulado do ano, a redução é de 6,3%, com 134.946 casos entre janeiro e setembro de 2017 contra 144.084 nos primeiros 9 meses de 2016.

 

Em setembro, acidentes com motocicletas resultaram em 140 fatalidades, redução de 6% (151 no ano passado). Ocorrências com pedestres registraram alta de 21,9%, com 139 casos (114 em 2016), seguidos por automóveis (116 casos contra 96 no ano passado, aumento de 20,8%) e bicicletas (33 contra 25 em 2016 aumento de 32%).

 

Jovens com idade entre 18 e 29 anos correspondem a 23,9% das vítimas (113 ocorrências), e os homens representam 80,1% dos casos. Mais da metade  dos acidentes fatais no mês aconteceram entre 18h e 06h (54,4%), e os finais de semana concentram 49,6% das ocorrências.

 

Sobre o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito

Programa do Governo do Estado de São Paulo tem como principal objetivo reduzir pela metade os óbitos no trânsito no Estado até 2020. Inspirado na “Década de Ação pela Segurança no Trânsito”, estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para o período de 2011 a 2020, o comitê gestor do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito é coordenado pela Secretaria de Governo e composto por mais nove secretarias de Estado: Casa Civil, Segurança Pública, Logística e Transportes, Saúde, Direitos da Pessoa com Deficiência, Educação, Transportes Metropolitanos, Planejamento e Gestão, Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação.  As secretarias são responsáveis por construir um conjunto de políticas públicas para redução de vítimas de acidentes de trânsito no Estado.

 

O Movimento Paulista de Segurança no Trânsito envolve também a sociedade civil com o apoio de empresas – Abraciclo, Ambev, Arteris, Banco Itaú, CNseg, ProSimulador e Raízen – e do Centro de Liderança Pública (CLP).

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]