70 visualizações

Horário de verão pode aumentar em 10% as chances de ataques cardíacos

Mudar a rotina nunca é uma tarefa simples, principalmente, quando se diz respeito ao sono, já que a privação ou diminuição podem ser bastante difíceis de acostumar. No entanto, as mudanças de horários causadas pela chegada do famoso “horário de verão” podem ser um pouco mais perigosas do que se imagina.

 

Segundo uma pesquisa feita pelos cientistas da Universidade de Alabama, nos Estados Unidos, a troca repentina de horários aumenta em até 10% as chances de ataques cardíacos. E, de acordo com o cirurgião cardíaco de São Paulo, Dr. Marcelo Sobral, o principal problema referente ao horário de verão é a privação do sono.

 

“A diminuição ou privação do tempo de sono pode causar um impacto grande no nosso corpo, como o aumento de peso, risco de diabetes e também doenças cardíacas. Além de contribuir para um  aumento de chances de desenvolver um ataque cardíaco, já que a mudança na rotina também altera o processo de resposta inflamatória do organismo”, completa o especialista.

 

Ainda segundo o cirurgião cardíaco, a privação do sono, o relógio circadiano do corpo e todas as respostas imunes do organismo podem sofrer com a mudança de horário e, por isso, são necessários alguns ajustes no dia a dia, já que é nessa primeira semana que o corpo mais vai sofrer com a mudança.

 

“É preciso prestar ainda mais atenção na alimentação e saúde durante essa semana e não deixar a dieta saudável para depois. Além disso, é recomendável praticar exercícios físicos que intensifiquem a saúde cardíaca, como atividades aeróbicas, para fortalecer o coração”, finaliza o médico.

Mudar a rotina nunca é uma tarefa simples, principalmente, quando se diz respeito ao sono, já que a privação ou diminuição podem ser bastante difíceis de acostumar. No entanto, as mudanças de horários causadas pela chegada do famoso “horário de verão” podem ser um pouco mais perigosas do que se imagina.

 

Segundo uma pesquisa feita pelos cientistas da Universidade de Alabama, nos Estados Unidos, a troca repentina de horários aumenta em até 10% as chances de ataques cardíacos. E, de acordo com o cirurgião cardíaco de São Paulo, Dr. Marcelo Sobral, o principal problema referente ao horário de verão é a privação do sono.

 

“A diminuição ou privação do tempo de sono pode causar um impacto grande no nosso corpo, como o aumento de peso, risco de diabetes e também doenças cardíacas. Além de contribuir para um  aumento de chances de desenvolver um ataque cardíaco, já que a mudança na rotina também altera o processo de resposta inflamatória do organismo”, completa o especialista.

 

Ainda segundo o cirurgião cardíaco, a privação do sono, o relógio circadiano do corpo e todas as respostas imunes do organismo podem sofrer com a mudança de horário e, por isso, são necessários alguns ajustes no dia a dia, já que é nessa primeira semana que o corpo mais vai sofrer com a mudança.

 

“É preciso prestar ainda mais atenção na alimentação e saúde durante essa semana e não deixar a dieta saudável para depois. Além disso, é recomendável praticar exercícios físicos que intensifiquem a saúde cardíaca, como atividades aeróbicas, para fortalecer o coração”, finaliza o médico.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]