35 visualizações

Horário de verão começa à meia-noite deste domingo em 10 Estados

Começa a vigorar à 0h de amanhã, em algumas regiões, o horário de verão, que se estenderá até 18 de fevereiro de 2018. Os moradores do Sul, Sudeste e Centro-Oeste deverão adiantar os relógios em uma hora. Dez estados e o Distrito Federal terão o horário de verão, que vai abranger Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, além da capital federal. Com isso, o horário no Leste do Amazonas e nos estados de Roraima e Rondônia ficará duas horas atrasado em relação ao de Brasília, enquanto Oeste do Amazonas e Acre ficam três horas na mesma condição.

 

O horário de verão foi instituído com o objetivo de permitir economia de energia no país em função do maior aproveitamento do período de luz solar. A medida foi utilizada pela primeira vez em 1931 e depois em outros anos, sem regularidade. Em 2008, ganhou caráter permanente e passou a vigorar do terceiro domingo de outubro até o terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte. O governo federal chegou a avaliar o fim do horário de verão neste ano, depois que um estudo do Ministério de Minas e Energia indicou que o programa vem perdendo efetividade.

 

A análise mostrou que a intensidade de consumo de energia elétrica estava mais ligada à temperatura do que ao horário, com picos nas horas mais quentes do dia. Porém, o período de estiagem que o país enfrenta, quando hidrelétricas estão com níveis de água reduzidos, vem obrigando o governo a ligar as termelétricas (de operação mais cara) e até mesmo a importar energia de outros países. Por isso o Planalto optou pela manutenção do horário de verão, que deverá ser reavaliado ano que vem.

 

Implantado em vários países, ele possibilita maior aproveitamento da luz do dia, fazendo com que as luzes artificiais sejam ligadas mais tarde e, assim, gerando economia. Ano passado, o país economizou 2,6 mil megawatts (MW), o que equivale a 4,5% da demanda nos horários de pico e corresponde a R$162 milhões conservados, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (NOS). Houve ganhos de 0,5% nos reservatórios das hidrelétricas das regiões Sudeste e Centro-Oeste, e de 1,2% no Sul.

 

DICAS Para o professor e engenheiro eletricista João Carlos Lima, do Grupo Loja Elétrica, de Belo Horizonte, ao adotar pequenas ações em seu dia a dia, o consumidor pode economizar na conta de luz, tendo em vista, inclusive, que em outubro será cobrará a chamada tarifa vermelha, que impõe cobrança adicional. A medida visa a compensar o uso da energia das térmicas.

 

Uma das atitudes recomendadas é a troca das lâmpadas incandescentes por fluorescentes, que têm vida útil maior e se alimentam com um gasto mínimo. A substituição pode ser feita por lâmpadas de LED, ainda mais econômicas. Carlos Lima recomenda também que o consumidor aproveite ao máximo a luz do dia deixando cortinas e portas abertas. Em caso de mesas de trabalho e de leitura, coloque-as próximas às janelas. No caso dos aparelhos de ar- condicionado, o melhor é manter os filtros sempre bem higienizados e usar o termostato do aparelho para regular a temperatura e evitar sobrecargas.

 

Outra medida importante é evite deixar aparelhos eletrônicos em stand-by. Apesar de estarem desligados, nesse modo, eles podem gerar um gasto mensal de até 12%. Uma boa solução é instalar um interruptor capaz de comandar as tomadas onde esses equipamentos estão plugados.

Começa a vigorar à 0h de amanhã, em algumas regiões, o horário de verão, que se estenderá até 18 de fevereiro de 2018. Os moradores do Sul, Sudeste e Centro-Oeste deverão adiantar os relógios em uma hora. Dez estados e o Distrito Federal terão o horário de verão, que vai abranger Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, além da capital federal. Com isso, o horário no Leste do Amazonas e nos estados de Roraima e Rondônia ficará duas horas atrasado em relação ao de Brasília, enquanto Oeste do Amazonas e Acre ficam três horas na mesma condição.

 

O horário de verão foi instituído com o objetivo de permitir economia de energia no país em função do maior aproveitamento do período de luz solar. A medida foi utilizada pela primeira vez em 1931 e depois em outros anos, sem regularidade. Em 2008, ganhou caráter permanente e passou a vigorar do terceiro domingo de outubro até o terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte. O governo federal chegou a avaliar o fim do horário de verão neste ano, depois que um estudo do Ministério de Minas e Energia indicou que o programa vem perdendo efetividade.

 

A análise mostrou que a intensidade de consumo de energia elétrica estava mais ligada à temperatura do que ao horário, com picos nas horas mais quentes do dia. Porém, o período de estiagem que o país enfrenta, quando hidrelétricas estão com níveis de água reduzidos, vem obrigando o governo a ligar as termelétricas (de operação mais cara) e até mesmo a importar energia de outros países. Por isso o Planalto optou pela manutenção do horário de verão, que deverá ser reavaliado ano que vem.

 

Implantado em vários países, ele possibilita maior aproveitamento da luz do dia, fazendo com que as luzes artificiais sejam ligadas mais tarde e, assim, gerando economia. Ano passado, o país economizou 2,6 mil megawatts (MW), o que equivale a 4,5% da demanda nos horários de pico e corresponde a R$162 milhões conservados, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (NOS). Houve ganhos de 0,5% nos reservatórios das hidrelétricas das regiões Sudeste e Centro-Oeste, e de 1,2% no Sul.

 

DICAS Para o professor e engenheiro eletricista João Carlos Lima, do Grupo Loja Elétrica, de Belo Horizonte, ao adotar pequenas ações em seu dia a dia, o consumidor pode economizar na conta de luz, tendo em vista, inclusive, que em outubro será cobrará a chamada tarifa vermelha, que impõe cobrança adicional. A medida visa a compensar o uso da energia das térmicas.

 

Uma das atitudes recomendadas é a troca das lâmpadas incandescentes por fluorescentes, que têm vida útil maior e se alimentam com um gasto mínimo. A substituição pode ser feita por lâmpadas de LED, ainda mais econômicas. Carlos Lima recomenda também que o consumidor aproveite ao máximo a luz do dia deixando cortinas e portas abertas. Em caso de mesas de trabalho e de leitura, coloque-as próximas às janelas. No caso dos aparelhos de ar- condicionado, o melhor é manter os filtros sempre bem higienizados e usar o termostato do aparelho para regular a temperatura e evitar sobrecargas.

 

Outra medida importante é evite deixar aparelhos eletrônicos em stand-by. Apesar de estarem desligados, nesse modo, eles podem gerar um gasto mensal de até 12%. Uma boa solução é instalar um interruptor capaz de comandar as tomadas onde esses equipamentos estão plugados.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]