Grupos que apoiam renovação política pretendem lançar 500 candidatos

Movimentos que pregam uma renovação no Congresso brasileiro, que surgiram nos últimos meses, já reúnem ao menos 500 candidatos para as próximas eleições, em outubro deste ano. Os concorrentes serão lançados por diferentes partidos.

 

Um estudo realizado pelo jornal Folha de S. Paulo, com dados fornecidos pelos próprios movimentos, revela que a maior parte dos políticos devem se candidatar à Câmara dos Deputados e às Assembleias Legislativas. No entanto, há quem pretende ingressar no Senado ou nos governos estaduais.

 

Só o Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (Raps) planeja apresentar 200 candidatos. A expectativa do grupo é eleger ao menos metade, baseado em resultados dos anos anteriores.

 

A rede foi criada pelo empresário Guilherme Leal, que foi candidato à vice-presidência ao lado de Marina Silva, em 2010. Fundadores de outros grupos como o Agora!, Acredito e Brasil 21 já foram membros da rede.

 

Como cita a publicação, o RenovaBR – que oferece bolsas de estudo e cursos para quem quer se candidatar – iniciou uma turma de formação com cem possíveis concorrentes e ainda vai selecionar mais 50 pessoas. Nem todos devem se candidatar, mas a maioria indica ter este intuito.

 

Membros de outros grupos, como Acredito, Brasil 21, Frente pela Renovação e Nós, também avaliam participar do pleito. Todos os concorrentes devem se filiar a partidos até 7 de abril.

 

A Frente pela Renovação – ligada ao Vem pra Rua – possui 300 inscritos no processo que vai selecionar nomes a serem apoiados, mas prefere por não fazer estimativas do resultado.

 

A Frente Favela Brasil – que está tentando registro como partido – quer lançar 57 candidatos e eleger ao menos dez, mesmo que por siglas diferentes. Já o conhecido Movimento Brasil Livre (MBL) deve lançar ao menos 15.

Movimentos que pregam uma renovação no Congresso brasileiro, que surgiram nos últimos meses, já reúnem ao menos 500 candidatos para as próximas eleições, em outubro deste ano. Os concorrentes serão lançados por diferentes partidos.

 

Um estudo realizado pelo jornal Folha de S. Paulo, com dados fornecidos pelos próprios movimentos, revela que a maior parte dos políticos devem se candidatar à Câmara dos Deputados e às Assembleias Legislativas. No entanto, há quem pretende ingressar no Senado ou nos governos estaduais.

 

Só o Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (Raps) planeja apresentar 200 candidatos. A expectativa do grupo é eleger ao menos metade, baseado em resultados dos anos anteriores.

 

A rede foi criada pelo empresário Guilherme Leal, que foi candidato à vice-presidência ao lado de Marina Silva, em 2010. Fundadores de outros grupos como o Agora!, Acredito e Brasil 21 já foram membros da rede.

 

Como cita a publicação, o RenovaBR – que oferece bolsas de estudo e cursos para quem quer se candidatar – iniciou uma turma de formação com cem possíveis concorrentes e ainda vai selecionar mais 50 pessoas. Nem todos devem se candidatar, mas a maioria indica ter este intuito.

 

Membros de outros grupos, como Acredito, Brasil 21, Frente pela Renovação e Nós, também avaliam participar do pleito. Todos os concorrentes devem se filiar a partidos até 7 de abril.

 

A Frente pela Renovação – ligada ao Vem pra Rua – possui 300 inscritos no processo que vai selecionar nomes a serem apoiados, mas prefere por não fazer estimativas do resultado.

 

A Frente Favela Brasil – que está tentando registro como partido – quer lançar 57 candidatos e eleger ao menos dez, mesmo que por siglas diferentes. Já o conhecido Movimento Brasil Livre (MBL) deve lançar ao menos 15.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]