38 visualizações

Governadores defendem a criação de Sistema Nacional de Segurança durante encontro no Acre

Governadores e representantes de 23 Estados defenderam na sexta-feira (27) a criação de um Sistema Nacional de Segurança para combater o narcotráfico. A proposta foi apresentada durante o Encontro de Governadores do Brasil pela Segurança e Controle das Fronteiras – Narcotráfico, uma emergência nacional, que ocorre na capital acreana, Rio Branco.

 

Na reunião, os gestores propuseram a criação de um fundo para financiar as medidas propostas no Sistema Nacional de Segurança Pública. Os valores ainda não foram definidos. O governador do Acre, Tião Viana, disse que novos encontros de governadores devem ser feitos para alinhar como vão ser colocadas em prática as medidas que foram definidas nesse primeiro encontro.

 

O evento contou com a presença dos ministros da Defesa, Justiça, Gabinete de Segurança Institucional, Relações Exteriores e do embaixador da Alemanha, Georg Witschel. Ao todo 20 governadores (Acre, Amazonas, Ceará, Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Piauí, Sergipe, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Paraíba, Roraima, Rondônia, Maranhão, Pará, Tocantins, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul) e representantes do Espírito Santo e Rio Grande do Sul.

 

O sistema, segundo a Secretaria de Segurança Pública do Acre (Sesp), seria integrado e funcionaria como um banco único de dados contendo informações do Judiciário, polícias investigativas, Institutos de Administração Penitenciária e Polícia Militar, englobando também a Agência Brasileira de Inteligência, além da Polícia Federal e Departamento Nacional de Trânsito (DETRAN). Isso, de acordo com a proposta, poderia criar ações de combate ao narcotráfico mais específicas.

 

Presidente se pronuncia por meio de carta

O presidente da República, Michel Miguel Elias Temer Lulia, Michel Temer (PMDB), mandou uma carta lamentando a ausência no evento. “Apresento meus cumprimentos aos Senhores Governadores hoje reunidos em Rio Branco para tratar da questão da segurança pública. Lamento não poder estar presente, como era minha intenção. Não tenham dúvida: a mesma coragem, a mesma determinação e a mesma energia com que vencemos a recessão, estamos colocando no combate ao crime organizado”.

 

Ela falou também que o problema é complexo e não pode ser combatido sem a união de todos. “No âmbito da União, é absoluto o empenho das polícias Federal e Rodoviária Federal, das Forças Armadas, dos órgãos de inteligência e de todas as agências com responsabilidade sobre a matéria. Nosso propósito é conferir maior integração e efetividade às ações da União em todo o território nacional, sem descuidar dos aspectos de desenvolvimento social”.

Governadores e representantes de 23 Estados defenderam na sexta-feira (27) a criação de um Sistema Nacional de Segurança para combater o narcotráfico. A proposta foi apresentada durante o Encontro de Governadores do Brasil pela Segurança e Controle das Fronteiras – Narcotráfico, uma emergência nacional, que ocorre na capital acreana, Rio Branco.

 

Na reunião, os gestores propuseram a criação de um fundo para financiar as medidas propostas no Sistema Nacional de Segurança Pública. Os valores ainda não foram definidos. O governador do Acre, Tião Viana, disse que novos encontros de governadores devem ser feitos para alinhar como vão ser colocadas em prática as medidas que foram definidas nesse primeiro encontro.

 

O evento contou com a presença dos ministros da Defesa, Justiça, Gabinete de Segurança Institucional, Relações Exteriores e do embaixador da Alemanha, Georg Witschel. Ao todo 20 governadores (Acre, Amazonas, Ceará, Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Piauí, Sergipe, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Paraíba, Roraima, Rondônia, Maranhão, Pará, Tocantins, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul) e representantes do Espírito Santo e Rio Grande do Sul.

 

O sistema, segundo a Secretaria de Segurança Pública do Acre (Sesp), seria integrado e funcionaria como um banco único de dados contendo informações do Judiciário, polícias investigativas, Institutos de Administração Penitenciária e Polícia Militar, englobando também a Agência Brasileira de Inteligência, além da Polícia Federal e Departamento Nacional de Trânsito (DETRAN). Isso, de acordo com a proposta, poderia criar ações de combate ao narcotráfico mais específicas.

 

Presidente se pronuncia por meio de carta

O presidente da República, Michel Miguel Elias Temer Lulia, Michel Temer (PMDB), mandou uma carta lamentando a ausência no evento. “Apresento meus cumprimentos aos Senhores Governadores hoje reunidos em Rio Branco para tratar da questão da segurança pública. Lamento não poder estar presente, como era minha intenção. Não tenham dúvida: a mesma coragem, a mesma determinação e a mesma energia com que vencemos a recessão, estamos colocando no combate ao crime organizado”.

 

Ela falou também que o problema é complexo e não pode ser combatido sem a união de todos. “No âmbito da União, é absoluto o empenho das polícias Federal e Rodoviária Federal, das Forças Armadas, dos órgãos de inteligência e de todas as agências com responsabilidade sobre a matéria. Nosso propósito é conferir maior integração e efetividade às ações da União em todo o território nacional, sem descuidar dos aspectos de desenvolvimento social”.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]