Gilmar e Joesley mantinham relação comercial e amigável, diz revista

Durante encontros em São Paulo e Brasília, ministro e empresário compartilhavam certezas e incertezas jurídicas, e tocavam projetos comuns.

 

Muito antes de ser preso, acusado de omitir informações importantes aos investigadores da Lava Jato, durante acordo de delação premiada, o empresário Joesley Mendonça Batista mantinha uma relação amigável com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Gilmar Ferreira Mendes.

 

De acordo com material publicado na edição desta semana da revista Veja, ambos mantiveram uma parceria comercial envolvendo o Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), de propriedade do ministro, em sociedade com o filho Francisco Schertel Mendes, de 34 anos.

 

Gilmar e Joesley, um dos donos do grupo J&F, responsável por distribuir propinas em valores bilionários com políticos de todo o Brasil, chegaram a se visitar, em Brasília – DF e em São Paulo – SP, em algumas oportunidades. Nesses encontros, compartilhavam certezas e incertezas jurídicas, e tocavam projetos comuns.

 

De 2016 a junho deste ano, a JBS, empresa pertencente ao grupo J&F, transferiu R$ 2,1 milhões para o IDP, em patrocínios que nem sempre foram públicos. Os valores de patrocínios de empresas iam parar, por vezes, na conta pessoal de Gilmar Mendes, conforme a revista.

 

O ministro foi ouvido e confirmou ter conhecido Joesley, após procurá-lo a fim de pedir apoio para o IDP, mas afirmou que os encontros entre eles ocorreram poucas vezes, e sempre respeitando os limites éticos.

 

Joesley está preso, assim como o seu irmão, Wesley Batista, na sede da Polícia Federal de São Paulo.

 

Fonte: Revista Veja.

Durante encontros em São Paulo e Brasília, ministro e empresário compartilhavam certezas e incertezas jurídicas, e tocavam projetos comuns.

 

Muito antes de ser preso, acusado de omitir informações importantes aos investigadores da Lava Jato, durante acordo de delação premiada, o empresário Joesley Mendonça Batista mantinha uma relação amigável com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Gilmar Ferreira Mendes.

 

De acordo com material publicado na edição desta semana da revista Veja, ambos mantiveram uma parceria comercial envolvendo o Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), de propriedade do ministro, em sociedade com o filho Francisco Schertel Mendes, de 34 anos.

 

Gilmar e Joesley, um dos donos do grupo J&F, responsável por distribuir propinas em valores bilionários com políticos de todo o Brasil, chegaram a se visitar, em Brasília – DF e em São Paulo – SP, em algumas oportunidades. Nesses encontros, compartilhavam certezas e incertezas jurídicas, e tocavam projetos comuns.

 

De 2016 a junho deste ano, a JBS, empresa pertencente ao grupo J&F, transferiu R$ 2,1 milhões para o IDP, em patrocínios que nem sempre foram públicos. Os valores de patrocínios de empresas iam parar, por vezes, na conta pessoal de Gilmar Mendes, conforme a revista.

 

O ministro foi ouvido e confirmou ter conhecido Joesley, após procurá-lo a fim de pedir apoio para o IDP, mas afirmou que os encontros entre eles ocorreram poucas vezes, e sempre respeitando os limites éticos.

 

Joesley está preso, assim como o seu irmão, Wesley Batista, na sede da Polícia Federal de São Paulo.

 

Fonte: Revista Veja.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]