32 visualizações

Expectativa é de 320 votos favoráveis, diz Maia sobre votação da reforma da Previdência na Câmara

Nos últimos dias, o governo Federal tem intensificado as articulações com o Congresso Nacional para tentar aprovar o texto da reforma da Previdência. No domingo (3), em mais um encontro, o presidente da República Michel Miguel Elias Temer Lulia Michel Temer (PMDB), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Felinto Ibarra Epitácio Maia, Rodrigo Maia (DEM), alguns ministros e líderes governistas de partidos, como Democratas (DEM), Partido Progressista (PP), Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Partido Social Cristão (PSC), Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) e Partido Republicano Brasileiro (PRB) se reuniram para discutir o assunto.

 

Após a reunião, Maia afirmou que a expectativa é que a reforma seja votada este mês e que a base aliada, na Câmara, já tem mais votos do que o necessário para aprovação.

 

“Há uma expectativa muito grande de reunir os votos desses partidos, que somam mais de 320 votos. Acho que conseguimos organizar a base”, afirmou Maia.

 

De acordo com relatório apresentado na última semana pelo Ministério da Fazenda, o déficit no setor pode chegar à casa dos 11,3% de todas as riquezas produzidas pelo país, em 2060, caso não sejam aprovadas mudanças no setor previdenciário.

 

Dados da Secretaria de Previdência do Ministério do Planejamento apontam que o déficit da Previdência deve chegar a 181 bilhões de reais, este ano. Em 2016, o déficit do Regime Geral da Previdência Social (RGPS), alcançou o recorde de R$ 149,73 bilhões.

 

O economista do Departamento de Assuntos Fiscais e Sociais do Ministério do Planejamento, Arnaldo Lima, explica que a inclusão de mais de 14 milhões de pessoas na Previdência, nos últimos 17 anos, e o aumento do valor do benefício, que passou de R$ 274 para R$ 1.200, no mesmo período, contribuíram para esse panorama.

 

“Aumentamos o valor do benefício e a duração do benefício. Estamos incluindo mais pessoas por mais tempo, com um valor maior”, conclui o economista.

 

Para que as novas regras de aposentadoria passem a vigorar no país, é necessário que o texto da reforma da Previdência seja aprovado tanto na Câmara como no Senado, em dois turnos e por pelo menos 3/5 dos votos de cada casa do Congresso Nacional (308 deputados) e (54 senadores).

Nos últimos dias, o governo Federal tem intensificado as articulações com o Congresso Nacional para tentar aprovar o texto da reforma da Previdência. No domingo (3), em mais um encontro, o presidente da República Michel Miguel Elias Temer Lulia Michel Temer (PMDB), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Felinto Ibarra Epitácio Maia, Rodrigo Maia (DEM), alguns ministros e líderes governistas de partidos, como Democratas (DEM), Partido Progressista (PP), Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Partido Social Cristão (PSC), Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) e Partido Republicano Brasileiro (PRB) se reuniram para discutir o assunto.

 

Após a reunião, Maia afirmou que a expectativa é que a reforma seja votada este mês e que a base aliada, na Câmara, já tem mais votos do que o necessário para aprovação.

 

“Há uma expectativa muito grande de reunir os votos desses partidos, que somam mais de 320 votos. Acho que conseguimos organizar a base”, afirmou Maia.

 

De acordo com relatório apresentado na última semana pelo Ministério da Fazenda, o déficit no setor pode chegar à casa dos 11,3% de todas as riquezas produzidas pelo país, em 2060, caso não sejam aprovadas mudanças no setor previdenciário.

 

Dados da Secretaria de Previdência do Ministério do Planejamento apontam que o déficit da Previdência deve chegar a 181 bilhões de reais, este ano. Em 2016, o déficit do Regime Geral da Previdência Social (RGPS), alcançou o recorde de R$ 149,73 bilhões.

 

O economista do Departamento de Assuntos Fiscais e Sociais do Ministério do Planejamento, Arnaldo Lima, explica que a inclusão de mais de 14 milhões de pessoas na Previdência, nos últimos 17 anos, e o aumento do valor do benefício, que passou de R$ 274 para R$ 1.200, no mesmo período, contribuíram para esse panorama.

 

“Aumentamos o valor do benefício e a duração do benefício. Estamos incluindo mais pessoas por mais tempo, com um valor maior”, conclui o economista.

 

Para que as novas regras de aposentadoria passem a vigorar no país, é necessário que o texto da reforma da Previdência seja aprovado tanto na Câmara como no Senado, em dois turnos e por pelo menos 3/5 dos votos de cada casa do Congresso Nacional (308 deputados) e (54 senadores).

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]