28 visualizações

Desaprovação a governo Temer diminui na margem de erro, diz Datafolha

A desaprovação ao governo do presidente Michel Miguel Elias Temer Lulia, Michel Temer (PMDB) diminuiu dentro da margem de erro de 2 pontos, apontou pesquisa do instituto Datafolha divulgada no domingo (3), que apontou que 71 por cento dos entrevistados avaliam a gestão do peemedebista como ruim ou péssima, uma variação negativa de dois pontos em relação à pesquisa anterior, divulgada no final de setembro.

 

O levantamento, publicado pelo jornal Folha de S.Paulo, apontou que o percentual dos que consideram o governo Temer ótimo ou bom manteve-se estável em 5 por cento. Ainda de acordo com a pesquisa, 23 por cento avaliam o governo como regular, ante 20 por cento em setembro, enquanto 1 por cento não soube responder, eram 2 por cento na pesquisa anterior.

 

O Datafolha apontou ainda que 60 por cento dos entrevistados esperam que a inflação vá aumentar, ante 56 por cento em setembro. Apenas 11 por cento acreditam que a inflação cairá mesmo percentual da pesquisa anterior, e 24 por cento apostam na estabilidade da alta dos preços, contra 27 por cento na sondagem anterior.

 

O instituto também apontou queda no pessimismo da população em relação à retomada do emprego, embora 50 por cento ainda acredite que o desemprego aumentará, contra 53 por cento no fim de setembro. Os que apostam que o desemprego diminuirá oscilaram para 21 por cento, ante 20 por cento, e os que veem estabilidade do indicador somaram 26 por cento, ante 24 por cento.

 

O instituto fez 2.765 entrevistas entre 29 e 30 de Novembro, em 192 cidades. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.

A desaprovação ao governo do presidente Michel Miguel Elias Temer Lulia, Michel Temer (PMDB) diminuiu dentro da margem de erro de 2 pontos, apontou pesquisa do instituto Datafolha divulgada no domingo (3), que apontou que 71 por cento dos entrevistados avaliam a gestão do peemedebista como ruim ou péssima, uma variação negativa de dois pontos em relação à pesquisa anterior, divulgada no final de setembro.

 

O levantamento, publicado pelo jornal Folha de S.Paulo, apontou que o percentual dos que consideram o governo Temer ótimo ou bom manteve-se estável em 5 por cento. Ainda de acordo com a pesquisa, 23 por cento avaliam o governo como regular, ante 20 por cento em setembro, enquanto 1 por cento não soube responder, eram 2 por cento na pesquisa anterior.

 

O Datafolha apontou ainda que 60 por cento dos entrevistados esperam que a inflação vá aumentar, ante 56 por cento em setembro. Apenas 11 por cento acreditam que a inflação cairá mesmo percentual da pesquisa anterior, e 24 por cento apostam na estabilidade da alta dos preços, contra 27 por cento na sondagem anterior.

 

O instituto também apontou queda no pessimismo da população em relação à retomada do emprego, embora 50 por cento ainda acredite que o desemprego aumentará, contra 53 por cento no fim de setembro. Os que apostam que o desemprego diminuirá oscilaram para 21 por cento, ante 20 por cento, e os que veem estabilidade do indicador somaram 26 por cento, ante 24 por cento.

 

O instituto fez 2.765 entrevistas entre 29 e 30 de Novembro, em 192 cidades. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]