44 visualizações

Caso Aécio vai entrar para “antologia de erros” do STF, afirma ministro

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou na segunda-feira (27) que a decisão da Suprema Corte de dar ao Senado o aval para decidir sobre a prisão e as medidas cautelares impostas ao senador Aécio Neves da Cunha (PSDB) vai entrar para a “antologia de erros” do STF.

 

“Uma futura antologia de erros [do STF] incluirá essa decisão, ao lado de outras, como a que derrubou a cláusula de barreira”, afirmou Barroso, durante seminário promovido pela revista Veja, em São Paulo – SP. Barroso acrescentou que respeita a decisão dos colegas no julgamento, mas que ela é “equivocada”.

 

O ministro negou que haja uma “queda de braço” entre o Congresso Nacional e o Supremo, “embora aqui e ali possa ter alguém incentivando a quebra da institucionalização para atender a interesses políticos”, disse ele, sem citar quais seriam esses nomes no STF.

 

Barroso comentou, ainda, que seria “ainda melhor” se a restrição do foro privilegiado viesse de uma medida do Legislativo. A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara aprovou recentemente texto que limita o foro ao presidente da República, a presidentes de Poder e vice-presidente. No STF, mesmo com maioria para restringir o foro, o assunto ficou em suspenso, com o pedido de vista do processo pelo ministro José Antonio Dias Toffoli, na última quinta-feira (23).

 

“Acho que o maior problema do Supremo é uma competência que ele não deveria ter que é essa de funcionar como juiz criminal de primeiro grau de autoridades encrencadas, porque é um papel que só traz desgaste porque se o Supremo o exerce bem e consegue com celeridade punir autoridade cria uma tensão com a classe política e se ele exerce mal cria uma tensão com a sociedade, portanto é uma competência que o Supremo não deveria ter”, argumentou Barroso.

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou na segunda-feira (27) que a decisão da Suprema Corte de dar ao Senado o aval para decidir sobre a prisão e as medidas cautelares impostas ao senador Aécio Neves da Cunha (PSDB) vai entrar para a “antologia de erros” do STF.

 

“Uma futura antologia de erros [do STF] incluirá essa decisão, ao lado de outras, como a que derrubou a cláusula de barreira”, afirmou Barroso, durante seminário promovido pela revista Veja, em São Paulo – SP. Barroso acrescentou que respeita a decisão dos colegas no julgamento, mas que ela é “equivocada”.

 

O ministro negou que haja uma “queda de braço” entre o Congresso Nacional e o Supremo, “embora aqui e ali possa ter alguém incentivando a quebra da institucionalização para atender a interesses políticos”, disse ele, sem citar quais seriam esses nomes no STF.

 

Barroso comentou, ainda, que seria “ainda melhor” se a restrição do foro privilegiado viesse de uma medida do Legislativo. A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara aprovou recentemente texto que limita o foro ao presidente da República, a presidentes de Poder e vice-presidente. No STF, mesmo com maioria para restringir o foro, o assunto ficou em suspenso, com o pedido de vista do processo pelo ministro José Antonio Dias Toffoli, na última quinta-feira (23).

 

“Acho que o maior problema do Supremo é uma competência que ele não deveria ter que é essa de funcionar como juiz criminal de primeiro grau de autoridades encrencadas, porque é um papel que só traz desgaste porque se o Supremo o exerce bem e consegue com celeridade punir autoridade cria uma tensão com a classe política e se ele exerce mal cria uma tensão com a sociedade, portanto é uma competência que o Supremo não deveria ter”, argumentou Barroso.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]