29 visualizações

Após décadas na presidência, Mugabe renuncia no Zimbábue

Após 37 anos na presidência do Zimbábue, o ditador Robert Mugabe finalmente cedeu às pressões sofridas em meio à crise política do seu governo. A renúncia foi anunciada na terça-feira (21) pelo presidente do Parlamento do país, Jacob Mudenda.

 

“Eu, Robert Gabriel Mugabe, entrego formalmente minha renúncia como presidente do Zimbábue com efeito imediato. Eu renunciei para fazer uma transferência de poder tranquila”, em trecho da carta-renúncia reproduzida pela agência Reuters.

 

A renúncia teria sido marcada pela comemoração de populares na capital do Zimbábue e por parlamentares do país, Harare. Embora Mugabe tenha declarado a decisão como “voluntária”, o ex-presidente havia recebido um prazo estipulado pelo seu partido, União Nacional Africana do Zimbábue – Frente Patriótica (Zanu-PF, na sigla em inglês), para que ele renunciasse até a data de ontem, segunda-feira (20).

 

Com a renúncia apresentada pelo ex-presidente através da carta, o processo de impeachment que o Parlamento já começava a discutir na terça-feira (21) acabou por ser descontinuado. De acordo com informações da agência, o Parlamento está voltado para o andamento de questões burocráticas para que um novo líder tome posse já na quarta-feira (22).

 

Desde a semana passada o governo de Robert Mugabe enfrentava uma série crise política, quando os militares deflagraram uma operação contra corruptos do círculo do então presidente. Além de ocuparem as ruas de Harare, os militares assumiram o controle da TV estatal e dos prédios governamentais.

 

O estopim da crise teria sido a decisão de Mugabe de demitir o seu vice-presidente, Emmerson Dambudzo Mnangagwa, que começava despontar como seu possível sucessor. O então líder e a primeira-dama, Grace Ntombizodwa Mugabe, chegaram a ficar confinados na residência de luxo do casal, a “Blue Roof”. Por meio de um sobrinho, ele manifestava intenção de ainda assim continuar no poder.

 

Mugabe foi destituído da liderança do seu partido e substituído pelo seu antigo vice-presidente Mnangagwa, o qual havia demitido dias antes. O processo de impeachment começou a ser discutido entre os parlamentares quando o então líder fez seu pronunciamento na TV estatal ZBC, Zimbabwe Broadcasting Corporation, negando qualquer intenção de renunciar.

Após 37 anos na presidência do Zimbábue, o ditador Robert Mugabe finalmente cedeu às pressões sofridas em meio à crise política do seu governo. A renúncia foi anunciada na terça-feira (21) pelo presidente do Parlamento do país, Jacob Mudenda.

 

“Eu, Robert Gabriel Mugabe, entrego formalmente minha renúncia como presidente do Zimbábue com efeito imediato. Eu renunciei para fazer uma transferência de poder tranquila”, em trecho da carta-renúncia reproduzida pela agência Reuters.

 

A renúncia teria sido marcada pela comemoração de populares na capital do Zimbábue e por parlamentares do país, Harare. Embora Mugabe tenha declarado a decisão como “voluntária”, o ex-presidente havia recebido um prazo estipulado pelo seu partido, União Nacional Africana do Zimbábue – Frente Patriótica (Zanu-PF, na sigla em inglês), para que ele renunciasse até a data de ontem, segunda-feira (20).

 

Com a renúncia apresentada pelo ex-presidente através da carta, o processo de impeachment que o Parlamento já começava a discutir na terça-feira (21) acabou por ser descontinuado. De acordo com informações da agência, o Parlamento está voltado para o andamento de questões burocráticas para que um novo líder tome posse já na quarta-feira (22).

 

Desde a semana passada o governo de Robert Mugabe enfrentava uma série crise política, quando os militares deflagraram uma operação contra corruptos do círculo do então presidente. Além de ocuparem as ruas de Harare, os militares assumiram o controle da TV estatal e dos prédios governamentais.

 

O estopim da crise teria sido a decisão de Mugabe de demitir o seu vice-presidente, Emmerson Dambudzo Mnangagwa, que começava despontar como seu possível sucessor. O então líder e a primeira-dama, Grace Ntombizodwa Mugabe, chegaram a ficar confinados na residência de luxo do casal, a “Blue Roof”. Por meio de um sobrinho, ele manifestava intenção de ainda assim continuar no poder.

 

Mugabe foi destituído da liderança do seu partido e substituído pelo seu antigo vice-presidente Mnangagwa, o qual havia demitido dias antes. O processo de impeachment começou a ser discutido entre os parlamentares quando o então líder fez seu pronunciamento na TV estatal ZBC, Zimbabwe Broadcasting Corporation, negando qualquer intenção de renunciar.

Posts Recentes: Popular Mais

Sobe para 18 os mortos em acidente com ônibus que levava universitários em SP

Subiu para 18 o número de mortos em um grave acidente com um ônibus da Companhia União Litoral, que capotou na noite de quarta-feira (8) na Rodovia Mogi-Bertioga. Havia pelo menos 46 pessoas a bordo. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, o motorista está entre os mortos e 31 pessoas ficaram feridas.   […]

Guilherme Campos (PSD) é nomeado presidente dos Correios

O presidente Michel Temer (PMDB) nomeou Guilherme Campos Júnior (PSD) para exercer o cargo de presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (9). Campos substituirá Giovanni Correa Queiroz, que foi exonerado ainda por Dilma Rousseff, em maio, na semana de seu afastamento […]